Pix e QR Code otimizam rotina de postos de combustíveis

Pix e QR Code otimizam rotina de postos de combustíveis

Os pagamentos digitais já se tornaram uma realidade no mercado brasileiro. O Pix, por exemplo, já chegou a 40% da população brasileira em menos de um ano de operação, de acordo com dados do Banco Central.

O uso de QR Code também é uma excelente opção de pagamento para o Pix e as carteiras digitais no momento em que vivemos, já que não é preciso contato físico e o pagamento pode ser feito de forma simples e rápida. 

Pix segue em ascensão e supera TED e DOC 

Em poucos meses de operação, o Pix já se tornou muito maior do que TED e DOC, meios tradicionais de transferências de valores no Brasil, de acordo com o Banco Central. Segundo o órgão, o Pix movimentou R$ 1,4 trilhão entre novembro de 2020 e junho de 2021. Em 6 de agosto, o Pix bateu recorde de R$ 40 milhões transacionados em um único dia. 

Dados da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) em parceria com a consultoria Deloitte, o Pix cresce, em média, 18% em números de usuários e 62% em volume de transações por mês. 

Pix e QR Code otimizam pagamentos em postos de combustíveis

Com mais de 600 carteiras digitais no Brasil e o Pix em plena ascensão, os meios de pagamentos digitais são a aposta de postos de gasolina para agilizar o atendimento e garantir a segurança por conta das restrições impostas pela pandemia de coronavírus. 

A Shipay e a SGA Petro são empresas que trabalham para oferecer soluções completas e integradas com os novos meios de pagamento. A parceria garante uma integração completa que traz vantagens para os clientes e para os donos de postos de combustíveis. 

A solução oferecida pelas empresas concentra venda, emissão de comprovante fiscal e gestão de finanças em um único sistema. Isso favorece a operação do posto e elimina o contato físico com o cliente na hora da venda, isso traz muito mais segurança, além de trazer agilidade no pagamento para evitar filas. 

Conversamos com o COO da Shipay, Paulo Loureiro e o diretor comercial da SGA Petro, Elizeu Galvão. Os executivos falaram sobre a parceria entre as empresas, o feedback e a expectativa com o crescimento dos meios de pagamentos digitais. Confira abaixo:

Qual é o principal objetivo da SGA Petro no mercado? 

“Ser líder no ramo de postos de serviços, levar um atendimento de excelência aos clientes”, afirma Elizeu. 

Como surgiu a parceria com a Shipay?

“Nós da SGA Petro pesquisamos por uma empresa para prestar o serviço de Pix, avaliamos algumas opções no mercado e escolhemos a Shipay”, explica Elizeu. 

Paulo ressalta a importância dos parceiros da Shipay para o crescimento da empresa no mercado. O executivo explica que a parceria com a SGA Petro agrega valor no varejo, principalmente, em lojas de conveniência e postos de combustíveis. 

O executivo completa explicando que o objetivo da Shipay é contribuir para o crescimento do varejo e que as parceiras são muito importantes para movimentar o mercado. 

 Qual é o feedback dos clientes da SGA Petro em relação ao Pix e os pagamentos por QR Code? 

“Um meio de pagamento que está crescendo, porém, ainda possui muitos problemas a serem resolvidos, conexão e demora de resposta dos bancos, por exemplo”, ressalta Elizeu. 

“Os bancos vêm se adaptando de forma ágil para suprir a demanda de infraestrutura que o Pix precisa no mercado. E a solução da Shipay apresenta a possibilidade de trocar a operação de Pix de um banco para o outro, sem ter de fazer nenhuma adaptação no estabelecimento. Isso proporciona mais agilidade no atendimento e nas vendas”, explica Loureiro. 

Como o segmento de postos e lojas de conveniência está se adaptando aos novos meios de pagamento?

“Está tendo uma boa aceitação, porém, alguns empresários têm resistência por conta dos pequenos problemas de autorização”, explica Elizeu. 

“O Pix vem se adaptando, os problemas de autorização surgem devido as atualizações do Banco Central, mas já é um problema que foi normalizado e é algo excelente para todos os participantes desse processo”, explica Loureiro.

 O executivo também ressalta que os novos meios de pagamentos passam por esse processo de maturação para serem melhor aceitos no mercado e isso vem acontecendo rapidamente na comparação com outros meios de pagamentos tradicionais como o cartão de crédito, por exemplo. 

Qual é a expectativa da Shipay com o Pix e os pagamentos por QR Code? 

Paulo explica que assim como todos os outros meios de pagamentos, o Pix e o QR Code irão passar pelo processo de maturação, já que o mercado precisa se adaptar aos novos meios de pagamento. 

O executivo aponta que algumas pesquisas afirmam que os novos meios de pagamento devem representar cerca de 30% de participação no mercado. Paulo ressalta como exemplo o sucesso do Pix em comparação com o TED e o DOC em menos de um ano de operação. 

Como as soluções da Shipay e da SGA Petro ajudam empreendedores?

“As soluções ajudam no aumento de produtividade, rapidez no recebimento, o que significa mais clientes no posto, e consequentemente, aumento dos lucros”, afirma Elizeu. 

Segundo estudo da consultoria britânica Juniper Research, os pagamentos por QR Code deve chegar a 2,2 bilhões de usuários até 2025, puxado por países emergentes como o Brasil. E isso corresponde a quase um terço dos usuários de telefonia móvel no mundo. 

No Brasil, dados da Febraban apontam que 3 em cada 10 brasileiros com smartphone já usaram QR Code para realizar pagamentos. A tendência é que o Pix também siga em forte crescimento em 2022, já que o Banco Central prepara o lançamento de novas funcionalidades como o Pix troco, Pix internacional e outros. 

Com isso, o varejo busca se adaptar o mais rápido possível ao novo modelo de pagamentos. E a solução da SGA Petro e da Shipay é a ideal para resolver todos os problemas. Com a demanda crescente por meios de pagamentos digitais, a tendência é que a adesão do consumidor a estes tipos de pagamentos seja rápida e o varejo precisa acompanhar essa novidade.

E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

Comércio eletrônico decolou no último ano e tem terreno fértil para continuar crescendo. Entenda como a solução da Shipay pode ajudar varejistas a surfar essa onda.

Somente em 2020, 13,2 milhões de pessoas fizeram compras pela internet pela primeira vez no Brasil. O volume é 23% maior do que o registrado em 2019 e, ao todo, o comércio eletrônico fechou o último ano com crescimento de 29% no número de consumidores, novos ou não. Em termos de faturamento, um recorde impressionante: R$ 87 bilhões, cerca de 41% a mais do que o registrado no ano anterior. Os dados fazem parte da Pesquisa Webshoppers, realizada pela Ebit|Nielsen em conjunto com a Bexs Banco.

Os números da consultoria apenas confirmam a trajetória de ascendência do e-commerce no Brasil e a necessidade dos varejistas adequarem seus negócios para estarem presentes também no ambiente online. Se engana quem pensa que esse crescimento é um fenômeno pontual da pandemia: outro estudo recente aponta que a estimativa é de que o e-commerce brasileiro cresça 56% até 2024.

Além disso, relatório da XP Investimento indica que o comércio eletrônico deve crescer 32% em 2021. De olho no crescimento do comércio virtual, a Shipay desenvolveu uma solução para que varejistas possam receber pagamentos por QR Code em suas lojas online de modo integrado e com muita facilidade.

“Nossa integração é bem simples e através de API. Oferecemos toda documentação técnica, ambiente de homologação e conta com nosso suporte durante o período de integração sem custo!

Em outras palavras, com uma única integração o e-commerce passa a aceitar PIX e carteiras digitais”, explica Paulo Loureiro, COO e Co-Founder da Shipay.

Incluir pagamentos digitais nas opções da loja online é uma forma de melhorar a experiência de compra do cliente, uma vez que os pagamentos são processados de forma instantânea com o PIX e as carteiras digitais oferecem uma série de vantagens, como descontos e cashback.

Na outra ponta, o varejista sai ganhando porque consegue mais fôlego no fluxo de caixa, evita gaps de mercadoria travada esperando prazos de
compensação de boletos e pode oferecer preços melhores aos clientes sem ser onerado com isso, tendo em vista as promoções já oferecidas pelas carteiras.

E aqui vale ressaltar o valor que esses descontos têm quando falamos de comércio eletrônico. Na pesquisa da Nielsen, um dado que merece muita atenção é o feedback dos entrevistados sobre a experiência de compra. A maior reclamação registrada é a respeito do custo do frete. Ou seja, se o varejista não tem margem para amenizar este custo – e entendemos o quanto isso realmente pode ser difícil em um momento de crise – as ofertas oferecidas pelas carteiras são uma forma de reduzir o valor da compra para o cliente final.

De olho nas oportunidades

Sabemos que 2020 não foi um ano fácil para muitos varejistas, entendemos também que essa nova realidade requer muita flexibilidade e adaptações profundas na operação para que o varejo possa recuperar as perdas e voltar a faturar.

Dito isso, é importante ressaltarmos os benefícios diretos para o varejista com a solução de e-commerce da Shipay. A primeira delas é que, como dissemos acima, qualquer loja virtual passa a aceitar pagamentos via PIX e carteiras digitais de forma integrada. O que isso significa na prática? Que todos os seus pagamentos digitais estarão centralizados em um só hub, o que facilita a organização do caixa e a conciliação dos pagamentos. Ou seja, é modernização e praticidade na operação financeira da sua empresa.

Loureiro ressalta outro ponto importante: “nossa solução integra direto com bancos (PSPs) para o PIX. Em outras palavras, o dono do e-commerce pode escolher em qual banco pretende receber e ter a liberdade de trocar quando julgar necessário”. Sendo assim, todo relacionamento bancário e preferências do varejista são respeitados.

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar que o PIX tem uma série de vantagens em comparação ao boleto. Além de mais prático e fácil para quem compra, tem taxas menores e liquidação 24×7. No vídeo abaixo você confere uma pequena demonstração da nossa solução já integrada em um de nossos parceiros, a Qualidoc. Trata-se de uma farmácia digital, com a plataforma completamente desenvolvida para oferecer melhor custo e comodidade na experiência de compra. Tendo em vista o contexto de isolamento social, uma farmácia digital surge como uma alternativa 100% aderente às necessidades do cliente.

Com o crescimento do PIX e das carteiras digitais, especialmente com a popularização das lives desde o ano passado e também das adaptações de programas de TV – que têm feito ações utilizando a exibição de QR Codes -, esse formato tem ganhado cada vez mais aderência com a população.

De olho nas oportunidades

Um grande destaque de crescimento em termos de venda de produtos online é o mercado pet. A pesquisa da Nielsen mostrou que o volume de pedidos online cresceu 143% em 2020 na comparação com o ano anterior. Em relação ao faturamento, houve um salto impressionante de 108% na mesma base de comparação.

Esse aumento pode ser explicado pela mudança de rotina massiva imposta pela pandemia. Com o home office sendo adotado em larga escala, as pessoas passaram a ficar mais tempo com seus pets e, consequentemente, passaram a comprar mais produtos para os seus bichinhos de estimação.

Seja qual for o segmento da sua empresa, é importante que você analise seu contexto com bastante critério e aberto a mudanças, para que possa aproveitar novas oportunidades e fazer o seu negócio crescer.

Como posso ter pagamentos digitais integrados em minha loja online?

Para integrar a solução da Shipay em sua loja virtual é bem simples, basta se cadastrar aqui. Nossa equipe entrará em contato para agilizar todo o processo de integração e em poucos dias a empresa estará apta a oferecer pagamentos por QR Code aos seus clientes.

Sistema de caixa com pagamentos por QR Code para MEIs, pequenos e médios empreendedores chega ao mercado

Sistema de caixa com pagamentos por QR Code para MEIs, pequenos e médios empreendedores chega ao mercado

Ganho competitivo: solução da vhsys vem com integração para que micro e pequenos empresários possam oferecer pagamentos por QR Code com facilidade.

O grande tropeço de quem fica reticente a se abrir para transformações é achar que toda mudança envolve grandes investimentos, equipes enormes e reformas estruturais significativas. Na verdade, o primeiro passo para que você possa mudar e crescer, é ter a mentalidade aberta para o fato de que o mundo está sempre em constante movimento.

Se você é varejista, dono de um pequeno negócio ou mesmo um trabalhador autônomo que trabalha com vendas, certamente sentiu os impactos das mudanças de comportamento de consumo com a chegada da pandemia – e quanto mais rápido entender esses novos hábitos, mais possibilidades terá para uma recuperação sólida.

Os pagamentos por QR Code não são apenas uma tendência passageira, eles vieram para ficar. E neste artigo você vai perceber que é muito simples se adaptar para oferecer essa opção aos seus clientes, independente do tamanho da sua empresa. 

Pesquisa do Capterra divulgada no segundo semestre do ano passado mostrou que os pagamentos digitais cresceram 32% desde o início da pandemia. Além disso, 96% das pessoas entrevistadas com carteiras digitais instaladas disseram que pretendem continuar usando o método de pagamento após o fim da crise sanitária. Com a chegada do PIX no mercado, essa tendência se fortalece ainda mais.

Em apenas dois meses de funcionamento, a plataforma de pagamentos instantâneos do Banco Central já havia superado o volume de transações de TED e DOC. O sucesso na adesão em transações entre pessoas físicas é um excelente sinal para a próxima etapa do Banco Central, que lançará uma funcionalidade de pagamento parcelado via PIX. 

Sistemas de caixa integrados para receber pagamentos por QR Code

A notícia é ótima para varejistas, tendo em vista a forte cultura brasileira de parcelamento das compras. Reginaldo Stocco, CEO e Founder da vhsys, empresa que fornece sistemas para micro e pequenos negócios, comenta que os pagamentos por QR Code têm ainda a vantagem de terem custos inferiores aos sistemas tradicionais. 

A empresa oferece uma solução focada em facilitar a vida de MEIs, pequenos e médios empresários, com sistemas que tornam a operação no dia a dia mais simples, inclusive o recebimento de pagamentos via QR Code. “Com a integração, a vhsys passa a disponibilizar de forma rápida aos empreendedores uma diversidade de soluções. Por conta de nossos desenvolvedores, não há necessidade de usar integrações individuais”, acrescenta Stocco. 

Dentre as muitas soluções oferecidas pela vhsys, a Shipay está focada especificamente na integração para os pagamentos por QR Code. Ou seja, um sistema de caixa para MEIs, pequenos e médios empresários que dá ao cliente a opção de pagar com QR Code, seja via PIX ou carteiras digitais.

Todos esses pagamentos são integrados em um só lugar, o que facilita a conciliação de caixa no fim do dia. Como o mercado de carteiras digitais vem crescendo de forma expressiva no Brasil, o consumidor ganha em usar esses meios de pagamento, tendo em vista que bancos e fintechs estão sempre se adiantando para oferecer descontos e vantagens. 

“Para usar essa solução é bem simples também, ele só precisa acessar no nosso sistema o aplicativo de integração entre vhsys e Shipay. E aí ele vai instalar, acessar o portal da Shipay para cadastrar as carteiras e pronto, já poderá receber tanto pelas carteiras digitais, como também pelo PIX.”, explica Stocco. 

Lembra que dissemos no início deste artigo que transformações significativas dependem muito mais de mentalidade aberta para o novo do que grandes investimentos? Pois bem, esse passo a passo simples de como ter a integração ativa em seu sistema de caixa é a prova de que basta muito pouco para você ter a possibilidade de oferecer mais experiências de qualidade aos seus clientes. 

Melhoria do fluxo de caixa e mais segurança para os clientes

Stocco reforça, por exemplo, o potencial do PIX para substituir definitivamente o boleto bancário. Neste caso, a grande vantagem para o empreendedor é ganhar fluxo de caixa, tendo em vista que o pagamento é compensado em apenas alguns segundos. Isso impede, por exemplo, que uma mercadoria fique “travada” no estoque até a compensação do boleto bancário, que pode levar de um a dois dias úteis. 

De um modo geral, os protocolos dos consumidores sobre segurança e higiene são fatores importantes em sua percepção de valor em relação a uma marca. Outra pesquisa feita recentemente mostrou que 3 a cada 5 brasileiros consideram os pagamentos sem contato como uma das medidas mais importantes a serem adotadas pelas empresas. Os pagamentos por QR Code podem ser feitos com mais de um metro de distância, com uso de barreira de acrílico entre operadores de caixa e clientes para tornar o ambiente mais seguro. 

Inclusão financeira

Também é muito importante levar em consideração os esforços que vêm sendo feitos para gerar mais inclusão financeira e aumentar a familiaridade da população com as ferramentas digitais. Os beneficiários do auxílio emergencial, por exemplo, puderam usar os recursos diretamente pela carteira digital da Caixa, sem a necessidade de enfrentar filas em agências bancárias.

O mesmo agora vale para quem recebe recursos do Bolsa Família. Se antes o dinheiro precisava ser sacado integralmente, agora os beneficiários podem usar os recursos em uma conta digital, tanto para fazer compras quanto para pagamentos. Todos esses incentivos gradualmente afastam a população do uso do dinheiro em espécie. 

Quanto mais preparado sua empresa estiver para os pagamentos digitais, mais oportunidades poderá enxergar. “Foque no seu negócio e mantenha-o em constante evolução, com a pandemia tivemos muitas dores econômicas mas ao mesmo tempo muitas oportunidades”, finaliza Stocco.   

Como um micro empreendedor individual, pequeno ou médio empresário, você entende a importância de manter o seu negócio atualizado e oferecer aos seus clientes a opção de pagar com QR Code. Se você ainda não sabia como atualizar o seu sistema de caixas, nós trouxemos a resposta.

Pagamentos Digitais para E-commerce

Pagamentos Digitais para E-commerce

As carteiras digitais estão tomando o mercado de e-commerce. E esse processo de mudança na forma como realizamos os pagamentos do dia a dia foi acelerado por conta da pandemia de coronavírus. Para se ter ideia, de acordo com um estudo da consultoria Bian, as carteiras digitais devem representar até 28% do total de pagamentos até 2022.

Outra pesquisa da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) também mostra que 61% dos brasileiros com smartphones das classes A, B e C já realizam compras por meio das carteiras digitais. Destes, 47% disseram que o principal fator para pagamentos digitais é a praticidade.

Crescimento do e-commerce deve se consolidar no pós-pandemia

A pandemia ajudou a turbinar as compras em lojas virtuais. Segundo pesquisa da consultoria Ebit/Nielsen, apenas no primeiro semestre de 2020 o e-commerce nacional cresceu 47%. No período, cerca de 90,8 milhões de pedidos foram realizados.

E de acordo com a projeção da Kearney, o crescimento não deve parar no pós-pandemia, a estimativa é que o e-commerce brasileiro cresça, em média, 17% ao ano até 2024, chegando a alcançar R$ 69 bilhões a mais do que o esperado antes da pandemia nos próximos anos.

Economistas apontam para a tendência de mudança estrutural no varejo, que devem se habituar ao mundo digital para venderem mais por e-commerce do que em seus PDVs. A expectativa é que o futuro do varejo esteja no online.

Pagamentos digitais por QR Code no Brasil

Os dados da EBANX do início de 2020 mostram que o crescimento do e-commerce se deve ao crescimento de 16% nas compras via smartphones. Grandes marketplaces do mercado como Americanas, OLX, Magalu e Casas Bahia já realizam mais de 60% das vendas via mobile.

Para cerca de 16%, as carteiras digitais são os meios utilizados para as compras em sites internacionais. Com o crescimento das compras via celular, as carteiras digitais saem em vantagem pela praticidade.

Prova disso são as projeções da consultoria Bian, que estima que as compras com carteiras digitais no e-commerce devem alcançar 47% do total das vendas no e-commerce até 2022. Além da praticidade, as carteiras digitais são bastante atrativas para os consumidores porque oferecem sistemas de cashbacks, descontos em parceiros, entre outros benefícios.

Por que apostar nos pagamentos digitais para o e-commerce?

O pagamento via carteiras digitais pode ajudar a turbinar as vendas do seu e-commerce. Abaixo mostraremos quais são os principais motivos para apostar nesse meio de pagamento em 2021:

Forte proteção contra fraudes

As carteiras digitais identificam a identidade do comprador antes da realização da venda, isso ajuda a diminuir potencialmente as tentativas de fraudes neste meio de pagamento. Outro fator de proteção oferecido pelas carteiras é o uso de tokens para aprovação de pagamentos, o que garante a proteção das informações do consumidor e do varejista.

Oferece mais um meio de pagamento ao seu e-commerce

Aderir as carteiras digitais é uma forma de diminuir as perdas de vendas. Além de meios de pagamentos tradicionais no mercado nacional como boleto bancário e cartão de crédito ou débito, um e-commerce precisa adotar as carteiras digitais para rechear suas opções de pagamento.

Portanto, Essa é uma forma de estimular os clientes a compras, já que esse meio de pagamento está em pleno crescimento no mercado nacional.

As carteiras digitais também podem ser uma opção para clientes que compram com cartão de crédito, mas estão sem limite, por exemplo.

Pagamento e recebimento rápido

Os consumidores querem fazer compras rapidamente, com poucos cliques e bem rápido. E as carteiras digitais oferecem essa praticidade. O pagamento é feito na hora em poucos minutos, a aprovação é imediata e o produto já é liberado para download (no caso de produtos digitais) ou para entrega.

Para os varejistas, o recebimento também é bem mais rápido e diferente dos prazos adotados em boletos e cartões de crédito ou débito, é possível receber o dinheiro na hora ou dentro de alguns dias.

Isso facilita o andamento de um negócio, já que não será preciso esperar 14 ou 30 dias para receber os valores.  

Menos taxas e mais rendimentos

Para consumidores e varejistas, as carteiras digitais possuem taxas insignificantes. Em muitos casos, inclusive, não há cobrança de taxa em pagamento ou para recebimento dos valores. Isso é essencial para sair das altas taxas dos cartões de crédito e débito.

Como funcionam como uma conta corrente, as carteiras digitais geralmente oferecem opções de rendimento das aplicações superiores a poupança, rendendo na maioria das vezes, pelo menos, 100% do CDI. Isso significa que o dinheiro rende mais para o consumidor e para o e-commerce.

E-commerce deve seguir em alta em 2021

Segundo as projeções da consultoria Ebit/Nielsen, as vendas do e-commerce brasileiro devem crescer 26% em 2021, alcançando um faturamento de R$ 110 bilhões no ano. Para a consultoria, a consolidação e surgimento de novas lojas virtuais e marketplaces deve se acentuar neste ano.

Prepare-se para receber pagamentos seguros com o PIX!

Prepare-se para receber pagamentos seguros com o PIX!

Transação instantânea pode revolucionar o consumo. Shipay oferece integração que facilita a operação diária no varejo com o PIX e torna as transações mais seguras. 

A partir de novembro o mercado vai conhecer o tão falado PIX, uma plataforma de pagamentos digitais instantâneos anunciada pelo Banco Central. O anúncio ocorreu em fevereiro de 2020, mas o lançamento ficou para o final do ano para que bancos e fintechs pudessem se adequar e oferecer o serviço aos consumidores. 

A ideia é permitir que as transações financeiras sejam mais ágeis, tendo em vista que a nova plataforma elimina o tempo de compensação que é exigido para DOC e TED. Com o PIX, o pagamento cai instantaneamente a qualquer dia da semana, em qualquer horário, nos 365 dias do ano. Além disso, a ideia é que o novo sistema também seja mais competitivo. 

As informações sobre o custo transacional ainda estão em aberto por parte do BC, mas a ideia é que elas sejam oferecidas ao mercado de um modo muito mais atrativo do que as opções já disponíveis. Por hora, o que se sabe é que o PIX custará R$ 0,01 a cada dez transações. Hoje, TEDs e DOCs podem ter valor flutuando entre R$ 10 e R$ 20 por transação. 

Segundo informações de um relatório feito pelo Morgan Stanley, a estimativa é de que em 2019 os bancos brasileiros ganharam cerca de R$ 2,2 bilhões em processamento de TED/DOC. É natural imaginar que os bancos possam tentar obter algum tipo de compensação financeira com as perdas estimadas com os usuários que trocarem o TED e o DOC pelo PIX. No entanto, Charles Hagler, Founder e Co-CEO da Shipay, acredita que a concorrência de mercado não oferecerá tanto espaço para a cobrança de qualquer tipo de compensação financeira elevada. 

“As carteiras digitais não tinham DOC e TED e não estão perdendo nada nessa história. Muito provavelmente teremos algumas delas vendo a oportunidade de pegar fluxo financeiro com isso e gerar relevância para os clientes. Têm mais de 900 instituições financeiras cadastradas no Banco Central para receber o PIX, com certeza vai ter algum player seguindo essa linha e jogando taxas baixas para ter fluxo financeiro maior”, avalia. 

Quem pode ter o PIX?

A nova modalidade de transação estará disponível para qualquer pessoa, física ou jurídica, com uma conta ativa em uma instituição financeira cadastrada junto ao Banco Central. 

Como é feito o pagamento com o PIX?

Existem alguns modos de efetuar uma transação via PIX. A primeira delas é pela chave de endereço. O usuário entra no aplicativo da instituição que tem conta, seleciona a opção do PIX, aponta se será o recebedor ou o pagador da quantia. A partir daí ele fornece uma chave para identificar o recebedor, que pode ser o telefone celular, CPF/CNPJ ou o email da pessoa. Uma tela de confirmação dos dados do recebedor é mostrada e ali o pagador insere sua senha/autenticação biométrica ou facial e o valor que será pago. Na sequência, a confirmação da transação fica disponível tanto no aplicativo do pagador quanto do recebedor.

O pagamento também pode ser feito via leitura de QR Code, que pode ser estático ou dinâmico. E neste caso basta o usuário entrar no aplicativo, selecionar o PIX e apontar na opção que aparece uma câmera para que possa ser feita a leitura do QR Code. No caso de estáticos, o varejista terá uma plaquinha ou adesivo com o código que será lido. Para o dinâmico, este varejista deverá gerar um QR Code para cada transação. 

Shipay: torne suas transações do PIX mais seguras

Luiz Coimbra, Founder e Co-CEO da Shipay, vê no PIX uma forma de pagamento tão democrática quanto o dinheiro. Além disso, ele vê a vantagem de ser um instrumento mais seguro e com menos custo do que o papel moeda. E para que o varejista se integre à nova opção de pagamentos com mais segurança e proteção contra possíveis fraudes, a Shipay oferece a integração do recebimento junto ao PDV da loja.

“Nós utilizamos a tecnologia API, que é o padrão de mercado. Assim, construímos uma solução que reduz o risco de fraude, tem um melhor custo operacional e entende o fluxo do negócio sem gerar impacto na operação do varejista”, acrescenta.

O foco em prevenir fraudes é algo que deve estar entre as prioridades do varejista, tendo em vista o histórico negativo do Brasil neste aspecto. Pesquisa feita pelo Serasa Experian e divulgada no ano passado, por exemplo, apontou que 7 a cada 10 negócios online no Brasil registraram aumento de prejuízos com fraudes. Do ponto de vista do consumidor, as fraudes financeiras também são um problema considerável.

Outro Estudo feito em conjunto pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), SPC Brasil e Sebrae apontou que 12 milhões de consumidores sofreram algum tipo de fraude financeira em um intervalo de um ano.

“O Brasil é o país da fraude. Se o lojista coloca um QR Code estático no balcão e alguém chega lá e cola outro QR Code em cima, até que isso seja percebido, o fraudador pode ficar lá recebendo os pagamentos. A gente tem a facilidade do PIX ser mais simples e mais ágil, mas tem o lado negativo de favorecer as fraudes”, alertou Hagler. Neste sentido, ele reforça que a integração da Shipay surge exatamente com o propósito de oferecer uma camada extra de segurança. O sistema gera o QR Code dinâmico, que é mais seguro do que o estático, e a confirmação do pagamento aparece na tela do PDV.

Isso gera mais dinamismo e conforto para o dono do varejo, uma vez que o sistema permite a checagem do recebimento sem que seja preciso manter a conta bancária da loja aberta com o atendente, já que sem a integração com o PDV o lojista teria que logar no aplicativo do banco para confirmar se recebeu o dinheiro. Essa integração também facilita o controle financeiro do caixa ao fechamento de cada dia.

O foco da Shipay é manter o varejista atualizado e pronto para fazer transações via PIX, uma vez que ela se mostra muito mais competitiva do que o DOC e o TED.

Close Bitnami banner
Bitnami
Close Bitnami banner
Bitnami