Pix Cobrança: por que o varejo precisa dar mais atenção à função?

Pix Cobrança: por que o varejo precisa dar mais atenção à função?

O Pix Cobrança com vencimento, além do valor específico do produto ou serviço, o varejista pode incluir juros, multa ou descontos. Em comparação aos pagamentos com cartão de débito, o uso do Pix pode representar de 2 a 3 vezes mais faturamento para a loja. A funcionalidade  permite  que o varejista gere um QR personalizado, para ser cobrado de imediato ou com data de vencimento futura. 

A agenda robusta do Banco Central em relação ao Pix deixa tanto os players do mercado quanto o usuário comum cheios de expectativas e questionamentos sobre as novidades constantes. Aqui é interessante fazer uma pausa e analisar mais de perto uma ferramenta já existente. Lançada ainda no primeiro semestre 2021, como é o caso do Pix Cobrança.

O varejo ainda precisa se educar a respeito deste tema. Tendo em vista os benefícios que o uso mais amplo do Pix Cobrança pode trazer para o dia a dia do negócio. No varejo, podemos considerar a ferramenta como uma evolução do boleto.

Tanto pelo ponto de vista de economia, considerando que os custos do Pix para o varejista são infinitamente menores do que os custos de emissão de boleto. Bem como do ponto de vista de celeridade, já que o boleto pode levar até três dias úteis para ser compensado, enquanto no Pix Cobrança a compensação é imediata. 

Mas se antes o Pix não permitia a flexibilidade de colocar uma data de vencimento para o pagamento, inclusão de juros ou descontos, essa ferramenta já resolveu este problema. Nese aspecto, os benefícios se expandem também para empresas que oferecem serviços de assinatura ou mensalidade, tendo em vista a possibilidade de aplicar descontos promocionais ou multas em caso de atraso na data de pagamento. 

Dados importantes referentes ao avanço do Pix no Varejo

Recentemente, a consultoria Gmattos realizou um estudo mostrando o avanço da adoção do Pix no varejo. Embora a plataforma do Banco Central venha crescendo tanto no ambiente físico quanto no digital. Fica mais evidente o patamar muito mais avançado que o Pix garantiu no online. Nas lojas físicas, o pagamento via Pix praticamente dobrou na comparação entre o primeiro e o segundo semestre do ano, mas o uso ainda é tímido em comparação a outros meios de pagamento (salto foi de 1,16% para 2,16%). Já no e-commerce, o uso do Pix cresceu de 32,2% para 40,7% somente entre maio e julho deste ano. A consultoria ainda ressaltou um dado importante:

Em comparação aos pagamentos com cartão de débito, o uso do Pix pode representar de 2 a 3 vezes mais faturamento para a loja. 

Esses dados são importantes para reforçar ao varejista a importância de se manter atualizado com as transformações que estão acontecendo. A Shipay, como parceira do varejista, entende a dor do comerciante que vem acompanhando o avanço do Pix no mercado, mas em um primeiro momento ficou reticente para entender como acrescentar essa plataforma em suas opções de pagamento.

É exatamente neste ponto que a Shipay surge como facilitadora. Uma vez que entrega as ferramentas necessárias para que o varejista tenha o Pix totalmente integrado em seu sistema de caixa. Seja em lojas físicas, e-commerces ou canais digitais corporativos (para pagamento de faturas de cartão, seguros, etc). Entendemos a velocidade da agenda do Pix e nos posicionamos de forma vanguardista e proativa. Sempre no sentido de facilitar o uso do Pix no varejo. Nossos parceiros e clientes que quiserem utilizar o Pix Cobrança e ter os pagamentos totalmente integrados e conciliados em seus sistemas de caixa, tem essa possibilidade com a Shipay. 

Em nossa visão, entendemos que o que existe do Pix ainda é só a ponta de um grande iceberg. O varejista ainda terá um universo de possibilidades para explorar, melhorar a experiência de compra para seus clientes e aumentar as vendas. Estamos diante de uma revolução no mercado de pagamentos e entendemos que nossos parceiros e clientes são os grandes protagonistas desta transformação. 

REAL DIGITAL: deve inaugurar uma nova etapa no sistema financeiro do Brasil

REAL DIGITAL: deve inaugurar uma nova etapa no sistema financeiro do Brasil

Quando o engenheiro Gordon Moore “profetizou” a lei de crescimento exponencial, apontando que o número de transistores dentro de um processador dobraria a cada dois anos, ele não tinha como saber que sua previsão seria tão certeira.

Mais além, ele não poderia imaginar que o crescimento exponencial da tecnologia extrapolaria sua previsão e alcançaria os patamares que estamos observando hoje. Há pouco mais de um ano, ninguém poderia imaginar que seria possível fazer transações instantâneas com tanta praticidade e o Pix surpreendeu a sociedade. Agora, nos preparamos para um novo capítulo com possibilidades ainda inimagináveis: a chegada do real digital. 

Trata-se de uma moeda virtual que está em fase de desenvolvimento pelo Banco Central – com alguns testes previstos já para o ano que vem. Para a população geral, a novidade deve chegar por volta de 2024, com o Pix e o Open Banking em uma fase bem mais madura. Como tudo ainda está em uma etapa bem embrionária, há quem confunda o real digital com criptomoeda, a diferença é que a primeira será uma moeda digital desenvolvida e regulada pelo Bacen, enquanto a segunda não está sujeita à regulação de nenhum banco central. 

O real digital terá valor corrente, exatamente igual ao valor do real físico, só que com uma abrangência de aplicação muito maior. Não estamos falando apenas de uma moeda para fazer transações no ambiente digital, mas de uma ferramenta capaz de trazer inovações e provocar disrupções muito maiores. Uma das possibilidades seria o dinheiro programável, que permitiria designar algumas quantias para usos específicos. Com a chegada do 5G e da Internet das Coisas, o real digital também teria espaço para usos muito mais futuristas em aparelhos inteligentes. Neste cenário, carros e eletrodomésticos poderiam ser programados para fazer compras automáticas. 

Outra possibilidade importante que aparece no cenário é a facilitação de transações internacionais. Enquanto se discute a possibilidade de criação do Pix Internacional, o desenvolvimento do real digital seria um grande passo para a concretização de transações internacionais instantâneas, com uma conversão mais prática e rápida. Obviamente será necessário avançar nos arranjos com os bancos centrais de outros países, mas o ambiente é favorável para que essas discussões avancem num sentido positivo. Isso facilitaria as remessas de dinheiro entre brasileiros residentes no exterior para suas famílias e vice-versa, poderia facilitar a dinâmica do comércio exterior, além de criar um ambiente favorável para o surgimento de diversos modelos de negócio disruptivos. 

Pense, por exemplo, em um e-commerce internacional com conversão instantânea de moeda estrangeira para real. O horizonte está aberto e o momento é para desenvolver ideias, pois a ferramenta vem com um potencial gigantesco de reduzir barreiras burocráticas e baratear custos de operação. 

Aliás, esse é justamente o desafio dos players do mercado de pagamentos. Instituições financeiras e fintechs, entre elas a Shipay, estão trabalhando para entender o universo de possibilidades de uso que o real digital traz. Ao redor do mundo, outros países trabalham no desenvolvimento de moedas digitais, mas cada um deles focando em aplicações que fazem sentido para suas realidades. O Brasil vem trilhando um caminho de destaque neste cenário, com o Pix muito bem desenvolvido e um espaço muito favorável para o desenvolvimento amplo do Open Banking. À medida que essas ferramentas, que já estão inseridas no mercado, vão ganhando robustez, o real digital também já ganha condições de nascer em uma fase de maturidade muito avançada em relação a outros países. 

Não perca vendas, a Shipay tem a solução para fazer você aceitar Pix direto no seu sistema atual!

Soluções inovadoras facilitam adoção do PIX e QR Code no varejo

Soluções inovadoras facilitam adoção do PIX e QR Code no varejo

O crescimento do PIX e dos pagamentos por QR Code no Brasil é estrondoso. De acordo com dados do Banco Central, apenas entre novembro de 2020 e maio de 2021, o PIX cresceu 1.836%. Até maio, o PIX já tinha superado a marca de 649 milhões de transações.

O QR Code não fica atrás, já que era utilizado por 48% dos brasileiros antes do PIX entrar em operação, de acordo com a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box. Com o crescimento dos novos meios de pagamento no mercado, os varejistas estão cada vez mais notando a importância de oferecer essas possibilidades de pagamentos a seus clientes. 

Para que o PIX e o QR Code cheguem ao varejo, é preciso contar com soluções que facilitem a adoção dos novos meios de pagamento nos pontos de venda. 

A Nortesys é uma das empresas que notaram essa necessidade de mercado e junto a SHIPAY integraram soluções que oferecem um sistema de gestão empresarial completo com PIX e QR Code inclusos nos meios de pagamento. Ambas as empresas são focadas em inovação e buscam otimizar o gerenciamento do negócio de seus clientes. 

Para entender melhor sobre essa parceria e sobre o foco em oferecer PIX e QR Code para clientes de varejo, entrevistamos o CEO da Nortesys, Gean Sharly de Sousa e o COO da SHIPAY, Paulo Loureiro. Os executivos falaram sobre a parceria entre as empresas e as expectativas com o crescimento do PIX e do QR Code no mercado nacional. 

Confira a entrevista abaixo:

Qual é a visão atual da Nortesys sobre as soluções de pagamentos digitais? 

“As soluções de pagamentos digitais para o varejo é um divisor de águas. Vimos na prática, principalmente nestes últimos dois anos, que essas formas de pagamentos permitem uma mobilidade muito grande, facilidade na integração, o que agiliza bastante no processo operacional” explica Gean. 

O executivo também destaca a parte do investimento. “O investimento é mais simples, mais rápido e barato. Assim, é possível ter uma escalabilidade maior. A Nortesys segue buscando investir em pagamentos digitais em nossas soluções de ERP para apresentarmos diferenciais aos nossos clientes”, completa.   

Como surgiu a parceria com a SHIPAY? 

“No ano passado, eu estive procurando plataformas de pagamentos digitais e acabei encontrando a SHIPAY. Entrei em contato com o Paulo, que nos apresentou a empresa e os projetos e aí nós vimos que era aquilo que precisávamos e fechamos a parceria. Foi assim e está dando tudo certo”, afirma Gean. 

Paulo explica que o objetivo da parceria é a SHIPAY prover um motor de crescimento e inovação para os clientes da NORTESYS. 

“Nós imaginamos que pagamentos instantâneos e digitais (PIX, carteiras digitais, QR Code) tem um poder enorme de agregar valor no varejo e junto com a NORTESYS, nós conseguimos levar essa inovação, trazendo valor agregado para o lojista e contribuir para o crescimento do varejo”, completa Paulo. 

Como a solução da SHIPAY agrega valor as soluções da NORTESYS? 

“Nós somos uma softhouse, focados no desenvolvimento de ERPs. Então, num mercado em que há dezenas de empresas, de meios de pagamentos e operadoras financeiras, é preciso se integrar com cada uma delas”, explica Gean. 

Gean destaca que a expertise da SHIPAY em pagamentos digitais, nos trouxe com a parceria uma solução a possibilidade de oferecer aos nossos clientes, a integração com diversas plataformas com mais facilidade. “Isso agrega muito valor as soluções de ERP que oferecemos aos nossos clientes”, completa.

Qual é a expectativa com a chegada do PIX e dos pagamentos por QR Code? 

“Nosso lema é ‘inovando sempre’, então quando se falou em PIX e os pagamentos por QR Code, nós percebemos que era a nossa hora de levar a isto aos nossos clientes, e consequentemente, aos consumidores”, explica Gean.  

Gean afirma que a expectativa da Nortesys é que a empresa possa cada vez mais sair na frente com novidades para oferecer para os nossos clientes e para o consumidor final. 

Paulo explica que a SHIPAY tem o objetivo de simplificar os pagamentos digitais e nós fazemos isto por meio de parcerias. “Hoje, os nossos parceiros são o coração da empresa, crescemos junto com eles com a proposta de melhorar o ecossistema de pagamentos digitais”, completa. 

“Atualmente, temos meios de pagamento tradicionais como débito, crédito e boleto, mas se olharmos mundo afora percebemos que os meios de pagamentos digitais tendem a crescer nos próximos anos, chegando a representar cerca de 30% de participação no mercado de pagamento, de acordo com algumas pesquisas” ressalta Paulo.

Qual é o feedback dos clientes em relação aos pagamentos digitais? 

“Para a maioria do varejo, principalmente do pequeno varejo, isso ainda é uma novidade. É uma novidade que muitos querem, mas como se trata de operações financeiras há muitas dúvidas”, destaca Gean.  

“Então, os clientes querem e nós temos desenvolvidos trabalhos em conjunto para que os clientes possam entender sobre o assunto. E eu acredito que a medida com que a sociedade for entendendo melhor os pagamentos digitais, a aderência a estes meios será cada vez maior”, completa. 

O PIX, carteiras digitais e pagamentos por QR Code já são uma realidade no mercado de pagamentos. A expectativa é que com o boom tecnológico atual, o processo de maturação dos meios de pagamentos digitais no varejo seja bastante acelerado. A tendência é que estes meios de pagamentos se tornem cada vez mais relevantes no ecossistema financeiro brasileiro.

Pix e QR Code otimizam rotina de postos de combustíveis

Pix e QR Code otimizam rotina de postos de combustíveis

Os pagamentos digitais já se tornaram uma realidade no mercado brasileiro. O Pix, por exemplo, já chegou a 40% da população brasileira em menos de um ano de operação, de acordo com dados do Banco Central.

O uso de QR Code também é uma excelente opção de pagamento para o Pix e as carteiras digitais no momento em que vivemos, já que não é preciso contato físico e o pagamento pode ser feito de forma simples e rápida. 

Pix segue em ascensão e supera TED e DOC 

Em poucos meses de operação, o Pix já se tornou muito maior do que TED e DOC, meios tradicionais de transferências de valores no Brasil, de acordo com o Banco Central. Segundo o órgão, o Pix movimentou R$ 1,4 trilhão entre novembro de 2020 e junho de 2021. Em 6 de agosto, o Pix bateu recorde de R$ 40 milhões transacionados em um único dia. 

Dados da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) em parceria com a consultoria Deloitte, o Pix cresce, em média, 18% em números de usuários e 62% em volume de transações por mês. 

Pix e QR Code otimizam pagamentos em postos de combustíveis

Com mais de 600 carteiras digitais no Brasil e o Pix em plena ascensão, os meios de pagamentos digitais são a aposta de postos de gasolina para agilizar o atendimento e garantir a segurança por conta das restrições impostas pela pandemia de coronavírus. 

A Shipay e a SGA Petro são empresas que trabalham para oferecer soluções completas e integradas com os novos meios de pagamento. A parceria garante uma integração completa que traz vantagens para os clientes e para os donos de postos de combustíveis. 

A solução oferecida pelas empresas concentra venda, emissão de comprovante fiscal e gestão de finanças em um único sistema. Isso favorece a operação do posto e elimina o contato físico com o cliente na hora da venda, isso traz muito mais segurança, além de trazer agilidade no pagamento para evitar filas. 

Conversamos com o COO da Shipay, Paulo Loureiro e o diretor comercial da SGA Petro, Elizeu Galvão. Os executivos falaram sobre a parceria entre as empresas, o feedback e a expectativa com o crescimento dos meios de pagamentos digitais. Confira abaixo:

Qual é o principal objetivo da SGA Petro no mercado? 

“Ser líder no ramo de postos de serviços, levar um atendimento de excelência aos clientes”, afirma Elizeu. 

Como surgiu a parceria com a Shipay?

“Nós da SGA Petro pesquisamos por uma empresa para prestar o serviço de Pix, avaliamos algumas opções no mercado e escolhemos a Shipay”, explica Elizeu. 

Paulo ressalta a importância dos parceiros da Shipay para o crescimento da empresa no mercado. O executivo explica que a parceria com a SGA Petro agrega valor no varejo, principalmente, em lojas de conveniência e postos de combustíveis. 

O executivo completa explicando que o objetivo da Shipay é contribuir para o crescimento do varejo e que as parceiras são muito importantes para movimentar o mercado. 

 Qual é o feedback dos clientes da SGA Petro em relação ao Pix e os pagamentos por QR Code? 

“Um meio de pagamento que está crescendo, porém, ainda possui muitos problemas a serem resolvidos, conexão e demora de resposta dos bancos, por exemplo”, ressalta Elizeu. 

“Os bancos vêm se adaptando de forma ágil para suprir a demanda de infraestrutura que o Pix precisa no mercado. E a solução da Shipay apresenta a possibilidade de trocar a operação de Pix de um banco para o outro, sem ter de fazer nenhuma adaptação no estabelecimento. Isso proporciona mais agilidade no atendimento e nas vendas”, explica Loureiro. 

Como o segmento de postos e lojas de conveniência está se adaptando aos novos meios de pagamento?

“Está tendo uma boa aceitação, porém, alguns empresários têm resistência por conta dos pequenos problemas de autorização”, explica Elizeu. 

“O Pix vem se adaptando, os problemas de autorização surgem devido as atualizações do Banco Central, mas já é um problema que foi normalizado e é algo excelente para todos os participantes desse processo”, explica Loureiro.

 O executivo também ressalta que os novos meios de pagamentos passam por esse processo de maturação para serem melhor aceitos no mercado e isso vem acontecendo rapidamente na comparação com outros meios de pagamentos tradicionais como o cartão de crédito, por exemplo. 

Qual é a expectativa da Shipay com o Pix e os pagamentos por QR Code? 

Paulo explica que assim como todos os outros meios de pagamentos, o Pix e o QR Code irão passar pelo processo de maturação, já que o mercado precisa se adaptar aos novos meios de pagamento. 

O executivo aponta que algumas pesquisas afirmam que os novos meios de pagamento devem representar cerca de 30% de participação no mercado. Paulo ressalta como exemplo o sucesso do Pix em comparação com o TED e o DOC em menos de um ano de operação. 

Como as soluções da Shipay e da SGA Petro ajudam empreendedores?

“As soluções ajudam no aumento de produtividade, rapidez no recebimento, o que significa mais clientes no posto, e consequentemente, aumento dos lucros”, afirma Elizeu. 

Segundo estudo da consultoria britânica Juniper Research, os pagamentos por QR Code deve chegar a 2,2 bilhões de usuários até 2025, puxado por países emergentes como o Brasil. E isso corresponde a quase um terço dos usuários de telefonia móvel no mundo. 

No Brasil, dados da Febraban apontam que 3 em cada 10 brasileiros com smartphone já usaram QR Code para realizar pagamentos. A tendência é que o Pix também siga em forte crescimento em 2022, já que o Banco Central prepara o lançamento de novas funcionalidades como o Pix troco, Pix internacional e outros. 

Com isso, o varejo busca se adaptar o mais rápido possível ao novo modelo de pagamentos. E a solução da SGA Petro e da Shipay é a ideal para resolver todos os problemas. Com a demanda crescente por meios de pagamentos digitais, a tendência é que a adesão do consumidor a estes tipos de pagamentos seja rápida e o varejo precisa acompanhar essa novidade.

De pequenos comerciantes às grandes redes varejistas, Shipay já está presente em todos os estados brasileiros

De pequenos comerciantes às grandes redes varejistas, Shipay já está presente em todos os estados brasileiros

Em menos de um ano, o Pix transformou por completo a forma como as transações financeiras acontecem ao redor do Brasil. E ao longo dessa história ainda tão recente, a Shipay encontrou espaço para participar de uma revolução que nós já imaginávamos lá atrás, mas não poderíamos prospectar que tudo isso aconteceria com tanta velocidade.

Quando a empresa nasceu, focada em facilitar o recebimento de pagamentos digitais, as carteiras digitais (Mercado Pago, Ame, PicPay, etc) já estavam em trajetória de crescimento, mas o Pix ainda era um conceito distante da população. Sua chegada ao mercado mudou tudo. Hoje, a Shipay tem orgulho em estar presente em mais de 500 mil estabelecimentos comerciais, com atuação em todos os estados brasileiros. 

O sucesso do Pix é um dos grandes responsáveis por essa trajetória de crescimento. Os dados de setembro do Banco Central mostram que o sistema conta com cerca de 7 milhões de CNPJs cadastrados, além de 102 milhões de pessoas físicas que fazem parte do sistema. Em outras palavras, praticamente metade da população total do Brasil possui um Pix ativo. Isso ajuda a entender o crescimento acelerado do volume transacionado pela Shipay no varejo. Em julho deste ano, batemos a marca de R$ 1 bilhão em transações; em outubro, já chegamos ao patamar de R$ 2 bilhões transacionados. 

São parceiros e clientes de todos os portes, nos mais diversos segmentos, também construindo uma trajetória de modernização e inclusão financeira neste cenário de tantas possibilidades. Via de regra, a Shipay integra pagamentos digitais em lojas físicas, e-commerces, aplicativos e canais digitais. Nossa capilaridade perpassa de grandes grupos, como Porto Seguro e Burger King, até médios e pequenos varejos.

O mais fantástico em toda essa história é ser uma ferramenta de democratização financeira. Isso porque a integração facilita o fluxo de pagamento não só dos grandes grupos em seus diferentes canais, mas também daquele varejista de bairro que quer contar com uma solução mais prática e moderna para oferecer ao seu consumidor. 

Ao final de novembro, veremos uma nova fase do Pix que poderá facilitar ainda mais o fluxo das transações financeiras em todo o país. Isso porque o Bacen já anunciou que as funções Pix Saque e Pix Troco estarão disponíveis a partir do dia 29/11. Com essa função, os estabelecimentos comerciais que quiserem participar do sistema atuarão como agentes financeiros. É um passo extremamente importante principalmente para a população que vive em pequenas cidades ou distritos, que comumente podem passar por transtornos para ter acesso a uma agência bancária ou caixa eletrônico. 

Ganham as duas pontas, pois o cidadão é beneficiado pela inclusão financeira e as lojas facilitam a gestão de recursos em espécie, diminuindo os custos com segurança e transporte de valores. De um ponto de vista mais amplo, ganha o sistema como um todo, pois é uma política que tende a aumentar ainda mais a adesão ao Pix. 

A facilitação dos pagamentos digitais cumpre um propósito mais expansivo, que é contribuir para um mundo mais inclusivo e moderno. Em breve, teremos também a função do Pix Garantido, que vai permitir ao varejo realizar vendas parceladas com o Pix. A função é promissora, tendo em vista o comportamento enraizado do brasileiro de comprar a prazo. Gradativamente, veremos novas funções sendo lançadas e tornando o Pix cada dia mais dinâmico. 

No mesmo ritmo, a Shipay segue acompanhando essa agenda evolutiva, se antecipando e entregando soluções que descomplicam a vida dos nossos parceiros varejistas. Desde o nascimento do Pix, nos mantivemos empenhados na tarefa de conscientizar o varejo sobre os benefícios da plataforma. Observar este mapa com a Shipay presente em todos os estados é mais do que simplesmente uma conquista em números, é a comprovação que os nossos esforços estão valendo a pena e transformando a realidade de lojistas em todo o país. 

Quer saber mais sobre as nossas soluções e oferecer pagamentos digitais na sua loja?

Close Bitnami banner
Bitnami
Close Bitnami banner
Bitnami