Pagamentos digitais e PIX são o futuro do mercado de Food Service.

Pagamentos digitais e PIX são o futuro do mercado de Food Service.

A pandemia de coronavírus é um dos principais fatores para a aceleração do processo de transformação digital do mercado de Food Service. Com as medidas de isolamento social e a restrição das atividades presenciais, bares e restaurantes tem adotado os pagamentos digitais em seus estabelecimentos e sistemas de delivery.

Os pagamentos digitais aliado ao lançamento do PIX pelo Banco Central foram bastante adotados para a realização de pagamentos em 2020. De acordo com o estudo Generation Pay da fintech Worldpay, cerca de 40% dos brasileiros já adotaram o pagamento de compras via carteiras digitais.

Para entender melhor essa transformação, falamos com Wesley Fernando, proprietário da iDCS e com Charles Hagler, co-CEO da SHIPAY, um dos nossos principais parceiros.  Falamos com os profissionais sobre a parceria entre as empresas e o futuro do mercado de Food Service. Confira abaixo:

Como surgiu a parceria entre iDCS e SHIPAY?

Wesley explica que a parceria com a SHIPAY surgiu na pandemia. Segundo ele, a iDCS já acreditava que os pagamentos digitais são o futuro e que era necessário adotar as carteiras digitais em uma única plataforma de pagamento para facilitar a vida dos nossos clientes. Então, a parceria surgiu dessa necessidade de automatizar as operações dentro dos estabelecimentos.

Hagler completa explicando que a SHIPAY procurou a iDCS em meados de 2020 e ofereceu a integração de carteiras digitais em seu software de PDV, exatamente para atender a esta necessidade.

Qual é a importância de um sistema de PDV como o da iDCS para restaurantes?

Para Wesley Fernando, o sistema da iDCS é fundamental para um restaurante. “Com o nosso sistema, um estabelecimento ganha um leque de automações com uma única plataforma. Ele consegue ter todo o controle da parte operacional, estoque e finanças”, afirma o proprietário da empresa.

Já tivemos casos de clientes, por exemplo, que tem o controle de estoque por meio do nosso sistema no seu celular, deles estarem no mercado fazendo as compras de reposição e ao encontrar produtos baratos, eles checam a necessidade de estoque para gerar economia, ressalta o executivo.

Como a SHIPAY e a iDCS agregam valor ao setor de restaurantes?

A iDCS já tem muitos anos de prática no segmento de Food Service e com a parceria com a SHIPAY, a empresa consegue oferecer ainda mais vantagens para os donos de restaurantes, afirma Hagler.

Através da parceria com a SHIPAY, a iDCS passa a oferecer a seus clientes, o PIX e todas as carteiras digitais como PicPay, Ame, Mercado Pago, entre outras, integradas diretamente no sistema de caixa.

Com o recebimento das vendas via PIX, por exemplo, os varejistas conseguem aproveitar as taxas mais atrativas do novo sistema de pagamentos e com a integração SHIPAY/iDCS, ele consegue realizar vendas instantâneas sem dificuldades, explica o co-CEO da SHIPAY.

Segundo uma pesquisa da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), cerca de 61% dos estabelecimentos já instalaram o PIX e 37% já utilizam o meio para realizar pagamentos.  Para 43%, a principal barreira para não usar o PIX é a falta de integração com o sistema da loja, o que a integração SHIPAY/iDCS resolve.

Os pagamentos digitais são uma grande uma vantagem em relação as vendas com cartões de crédito e débito que ofertam taxas mais caras e nas transações em dinheiro em espécie, o que diminui as chances de perdas e desvios de valores, necessidade de troco, entre outras questões.

Outra vantagem de colocar as carteiras digitais é que elas oferecem diversos descontos por meio de sistemas de cashback e promoções, como acontece por exemplo, com as plataformas do Mercado Pago e da Ame Digital. Isso pode ajudar a fidelizar clientes, atraindo novos consumidores por meio das ações das próprias carteiras digitais, destaca Hagler. Além disso, com a integração SHIPAY/iDCS, o cliente também consegue gerar, pelo próprio PDV, o QR Code e o link de pagamento para realizar vendas por meio de aplicativos de mensagens como WhatsApp, por exemplo, o que é um grande benefício para quem faz vendas remotas ou sem a necessidade de deslocamento até o caixa do estabelecimento.

O futuro do mercado de Food Service está nos pagamentos digitais e instantâneos?

O mercado de Food Service como todos os outros setores do varejo vem passando por transformações e isso se acelerou após o início da pandemia de COVID-19.  

No caso do Food Service, as plataformas de delivery como Ifood e Rappi, eles criaram uma demanda importante para os restaurantes, principalmente no pico da pandemia. Porém, por outro lado, eles diminuem bastante a rentabilidade dos restaurantes por conta das altas taxas, ressalta Charles.

Charles explica que os pagamentos digitais possibilitam que os restaurantes façam seus próprios sistemas de delivery pelo WhatsApp, por exemplo. Isso dispensa a necessidade de participar de plataformas de delivery e assim cortando o intermediário, a rentabilidade aumenta.

O presidente da Abrasel-SP, Joaquim Saraiva, em entrevista a Gazeta do Povo, o uso do PIX representa uma redução significativa. Ele explica que enquanto em transações convencionais, a taxa aplicada fica entre 1% e 3% do valor da compra, no PIX a cobrança é de taxa zero ou de poucos centavos por transação.

Com a pandemia ainda em curso, existe ainda um desafio para os donos de restaurantes de recuperar a rentabilidade para melhorar a saúde financeira de seus negócios. E os pagamentos digitais e instantâneos servem para potencializar essa rentabilidade diminuindo a cobrança de taxas, por exemplo.

Conheça a iDCS!

Estamos há mais de 24 anos no Mercado!

A iDCS Automação ( Intelligence Data Cloud System ), é uma das principais desenvolvedoras de softwares de gestão exclusivos no ramo alimentício, contribuindo com a facilidade de gerenciamento de cada negócio.

Atendemos às necessidades específicas de cada cliente, oferecendo uma gestão eficiente para empresas de todos os portes.

Resultados da Black Friday e as melhorias que você pode fazer para que a sua loja cresça no próximo ano

Resultados da Black Friday e as melhorias que você pode fazer para que a sua loja cresça no próximo ano

Como já era esperado, a Black Friday deste ano registrou resultados muito expressivos no comércio eletrônico, como consequência da pandemia de Covid-19 e as preocupações em manter o distanciamento social. O Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA) apontou uma queda de 25,5% no varejo físico, enquanto as vendas no comércio eletrônico tiveram um aumento de 21,2%. O índice faz o monitoramento de 1,5 milhão de varejistas no país.

Além disso, levantamento da Neotrust/Compre e Confie, empresa de inteligência de mercado focada no e-commerce, mostrou faturamento de R$ 5,1 bilhões nos dias 27 e 28, uma alta de 31% em comparação à Black Friday de 2019. Já a Nuvemshop, que reúne pequenas e médias empresas com comércio online, divulgou um faturamento de R$ 20,4 milhões, expressivos 105% acima do resultado obtido na Black Friday do ano passado.

O que esses números representam para o varejista?

Uma leitura mais rasa do contexto apontaria somente para a necessidade dos lojistas ampliarem seus espaços físicos para o virtual, mas o fato é que as tendências apontam muito mais para a prevalência de negócios que tenham uma integração bem estruturada entre seus ambientes físicos e digitais. Ambientes em que o consumidor tenha facilidade para transitar entre o online e o offline. Sinergia entre as ações de divulgação tanto nas lojas físicas quanto no site e redes sociais, facilidade e praticidade para efetuar pagamentos, sistemas responsivos, atendimento de qualidade tanto presencial quanto virtual.

De um modo geral, o consumidor se viu forçado a mudar drasticamente seus hábitos de consumo em 2020, assim como tende a priorizar sempre métodos que se mostrem mais rápidos, fluidos e seguros no dia a dia. De fato, o comércio online, que já vinha em uma curva de crescimento, vem obtendo resultados robustos neste ano em função da pandemia.

No entanto, o varejista deve focar seus esforços não só no presente, mas também se preparar para o amanhã. Uma vez que tenhamos acesso a vacinas, o movimento no comércio tende a crescer. E então é preciso que o varejista esteja bem preparado para atender esse novo consumidor: mais consciente, exigente com padrões de higiene e segurança e também menos tolerante com meios de pagamento lentos ou pouco responsivos.

Parceria da Shipay com o varejo

A atuação da Shipay no mercado vem sendo de muita parceria com o varejo, entendendo a realidade dos lojistas e apontando soluções que estão em sintonia com este momento que vivemos. Nossa integração junto ao PDV permite que os varejistas recebam pagamentos das principais carteiras digitais do mercado e também via PIX em um só hub, o que garante mais fluidez e segurança para o dia a dia da operação de caixa. Para entender um pouco mais sobre nossa solução, clique aqui e confira o depoimento de uma marca que se tornou nossa parceira.

#varejo #vendasonline #ecommerce #blackfriday #pagamentosdigitais #shipay #pix #meiosdepagamentos #carteirasdigitais #meiodepagamentosdigitais #BACEN #fintechs #meiosdepagamento #bancocentral #fintech #bancocentral #finanças #openinnovation #carteiradepagamentos #inovaçãofinanceira #SegurançaPagamentos

Close Bitnami banner
Bitnami