O cliente tem pressa em receber, você tem pressa em lucrar

O cliente tem pressa em receber, você tem pressa em lucrar

A concepção de excelência para um cliente é algo que está em constante transformação. Por exemplo, se até 2019 um consumidor fizesse uma compra pela internet e tivesse que esperar cerca de cinco dias até receber o produto em casa, o prazo poderia ser considerado bom.

Com a transformação causada pela pandemia, essa tolerância foi caindo para um, dois dias e agora o varejo luta para entregar encomendas horas depois da realização dos pedidos. Reportagem do jornal O Globo mostra que as entregas feitas em até 24 horas já correspondem a metade das operações no comércio eletrônico. Na mesma publicação, o diretor de logística do Magalu afirmou à reportagem que a conversão em vendas aumentou 62% quando o período de entrega caiu de quatro horas para apenas uma hora.

Oferecer uma experiência veloz para o consumidor envolve transformações significativas em logística, gerenciamento de estoque e também em meios de pagamento. Manter todas essas pontas alinhadas e em dia com o processo de transformação digital é imprescindível para que não haja quebra na experiência do cliente.

É como um tripé, se essas três pontas não estiverem em sintonia, o processo fica quebrado. 

Nessa hora entra o protagonismo dos pagamentos instantâneos. Segundo informações de pesquisa recente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o Pix já é o segundo pagamento mais utilizado pela população brasileira para pagamentos à vista (70% dos internautas dão preferência ao Pix). O motivo mais apontado pelos entrevistados para escolher esse método é a rapidez e a praticidade (83% das respostas). 

O boleto bancário e seu prazo de compensação, que em média leva dois dias úteis, se torna incompatível com essa nova realidade. Ainda assim, a 3ª edição da Pesquisa Novos Meios de Pagamentos, realizada pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), apontou que a população desbancarizada usa o boleto com muita frequência – o que mostra que os varejistas têm uma boa janela de oportunidade para oferecer condições melhores ao consumidor com pagamentos digitais e, aos poucos, ganhar essa fatia de clientes. O Pix, por ser mais barato que o boleto bancário, permite ao lojista uma brecha para oferecer descontos aos clientes que derem preferência a essa modalidade. Além de aumentar o fluxo de caixa, libera a mercadoria com mais rapidez para a entrega. 

É importante deixar claro também que a reflexão aqui não vem no sentido de colocar varejistas de todos os portes na mesma linha de concorrência. Afinal, os grandes grupos dispõem de recursos para fazer enormes mudanças estruturais em logística e gestão de estoque, enquanto varejistas menores estão reconstruindo o crescimento gradualmente. Mas quando falamos de meios de pagamento, a discussão é bastante horizontal e democrática para todos os players.

Seja você um varejista pequeno, médio ou grande, é possível ter pagamentos digitais (Pix, Ame, Mercado Pago, PicPay, PagBank, etc) totalmente integrados em sua loja. Isso não demanda um investimento robusto, muito pelo contrário. Como já pontuamos acima, a taxa de um Pix é muito mais barata do que o lojista está acostumado a pagar para emitir um boleto.

Se o cliente tem pressa em receber o que comprou, você certamente também tem para ver seus resultados melhorarem. Quer receber pagamentos digitais em sua loja virtual, física ou canal digital? Conte com a Shipay

E-commerce: pagamentos por QR Code deixam experiência de compra mais fluida e aumentam o potencial de vendas

E-commerce: pagamentos por QR Code deixam experiência de compra mais fluida e aumentam o potencial de vendas

Boletos aumentam o prazo de entrega e cartões deixam o processo de compra com mais fricção. Entenda como os pagamentos digitais podem beneficiar o seu negócio. 

Você é varejista e vem percebendo que o e-commerce está crescendo, então resolve criar uma loja virtual para o seu negócio. Investe no desenvolvimento de um site rápido, com uma boa apresentação, contrata uma boa equipe de comunicação para cuidar do marketing e se esforça para oferecer aos seus clientes o melhor preço possível diante da concorrência. A uma certa distância, pode imaginar que está fazendo tudo que está ao seu alcance para oferecer uma boa experiência aos seus clientes, mas em que momento dessa jornada você se perguntou a respeito das opções de pagamento? Se você acha que isso não interfere na jornada de compra do seu cliente, nós vamos te mostrar que está na hora de rever esses conceitos. 

Um estudo de tendências divulgado recentemente pela publicação britânica Raconteur traz uma análise muito relevante: os cartões de pagamento foram desenhados para um período em que as lojas tradicionais eram a primeira opção do cliente. Agora, os tempos mudaram. O e-commerce vem se tornando o principal canal de consumo globalmente e esse processo foi acelerado pela pandemia de Covid-19. 

Um erro muito comum cometido pelas empresas é pensar na jornada online como uma réplica do que acontece no mundo físico – e os reflexos disso aparecem principalmente na hora do pagamento. Antes da chegada dos pagamentos por QR Code (Pix, Mercado Pago, Ame, PicPay, PagBank, etc), as lojas virtuais basicamente ofereciam opções de pagamento semelhantes ao que era encontrado nas lojas físicas, com o boleto bancário substituindo o pagamento em dinheiro e as opções de crédito e débito dos cartões. 

A importância de pagamentos sem fricção

O grande gargalo é que, diferentemente do que acontece em uma loja física em que você coloca o cartão na maquininha, na experiência online é preciso digitar todos os dados do cartão de crédito ou débito para cadastrá-lo antes da compra, um processo manual que gera muita fricção. 

Hoje, os pagamentos digitais permitem ao cliente uma experiência muito mais fluida, segura e instantânea. O estudo da Raconteur também reforça muito o potencial do que é chamado de “seamless buying experience”, ou seja, quanto mais fluida a experiência, melhor a experiência do cliente e maiores as suas chances de conversão em vendas. 

Na visão de Paulo Loureiro, Co-Founder e COO da Shipay, a empresa está trazendo um grande impacto justamente neste ponto. Além da presença como integradora de pagamentos em sistemas de PDV e ERP de lojas físicas, a startup também conta com uma forte frente de soluções para e-commerces, aplicativos e canais digitais. Em outras palavras, com os serviços da Shipay você consegue receber pagamentos por QR Code em sua loja física ou virtual de um jeito prático, seguro e rápido. 

Experiência melhor para o cliente com taxas mais competitivas

Uma grande vantagem do Pix para os varejistas é que além de ser um pagamento instantâneo, ainda há a questão da redução de custos. “Quando a gente compara o Pix com o boleto tem uma vantagem muito grande em dois aspectos: primeiro do ponto de vista financeiro. Quando você olha um boleto que custava em média R$ 2,50, variando de banco a banco, a gente olha para o Pix com a oportunidade de pagar centavos por transação, ou em alguns casos pagando um percentual muito menor do que ele pagaria com o boleto. Então, logo de cara você tem uma vantagem financeira, atrelado a uma liquidação D+0,o dinheiro cai no mesmo dia, diferente do boleto, que tem um período para compensar”, ressalta Loureiro.  

Do ponto de vista operacional e de experiência do usuário, o executivo também reforça as vantagens de oferecer o Pix como forma de pagamento no e-commerce. “Você tem a geração da cobrança na hora, específica para um valor e tem a confirmação daquela transação em tempo real. O cliente consegue comprar o produto em instantes e o estabelecimento checa se recebeu o pagamento com a mesma agilidade. Isso permite que a loja possa liberar a mercadoria na hora, independente se for fim de semana ou fora do horário comercial, isso é uma vantagem muito grande do ponto de vista de experiência do usuário”, completa Loureiro. 

No caso das carteiras digitais, elas possuem taxas competitivas em relação às aplicadas nos cartões de crédito e também têm a vantagem dos vários benefícios atrelados ao cashback. Além disso, as carteiras oferecem descontos que atraem os consumidores e o varejo sai ganhando porque têm suas vendas estimuladas. “O varejista tem ali um aliado não somente em termos de custos, mas que também leva novos clientes até ele, para que a loja possa vender mais. Os benefícios são bem claros e a Shipay trabalha exatamente nessa camada de facilitar a utilização desses pagamentos digitais em múltiplos canais das lojas”, acrescenta o executivo. 

Clientes leais gastam cinco vezes mais 

Na publicação do Raconteur, a plataforma Wix trouxe um dado importante em relação ao e-commerce: consumidores leais gastam cinco vezes mais do que os consumidores médios. Ou seja, o investimento na melhoria da experiência dos clientes que a loja já possui é a estratégia mais valiosa que os varejistas podem adotar. Quanto mais responsivo o site e maiores as opções de pagamento, mais interessante a experiência fica para o cliente. Consequentemente, maiores as possibilidades dele retornar a esse site para fazer outras compras no futuro. 

“Nós temos visto isso pelos dados da Shipay, os sites que utilizam Pix e carteiras digitais têm uma mudança não só no mix de produtos, mas também vendem mais. O Pix também trouxe, por exemplo, clientes que pagavam no cartão de crédito e agora dão preferência ao Pix pela facilidade. A experiência melhora porque ele não precisa ficar digitando o número do cartão de crédito e a loja virtual também tem o benefício da taxa melhor, liquidação D+0. Isso tanto é verdade que alguns sites estão oferecendo descontos e condições especiais para quem paga com o Pix”, comenta Loureiro. 

Tem uma loja virtual e quer uma forma simples de oferecer Pix, Ame, Mercado Pago, PicPay ou PagBank como método de pagamento aos seus clientes? Fale com a gente

E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

Comércio eletrônico decolou no último ano e tem terreno fértil para continuar crescendo. Entenda como a solução da Shipay pode ajudar varejistas a surfar essa onda.

Somente em 2020, 13,2 milhões de pessoas fizeram compras pela internet pela primeira vez no Brasil. O volume é 23% maior do que o registrado em 2019 e, ao todo, o comércio eletrônico fechou o último ano com crescimento de 29% no número de consumidores, novos ou não. Em termos de faturamento, um recorde impressionante: R$ 87 bilhões, cerca de 41% a mais do que o registrado no ano anterior. Os dados fazem parte da Pesquisa Webshoppers, realizada pela Ebit|Nielsen em conjunto com a Bexs Banco.

Os números da consultoria apenas confirmam a trajetória de ascendência do e-commerce no Brasil e a necessidade dos varejistas adequarem seus negócios para estarem presentes também no ambiente online. Se engana quem pensa que esse crescimento é um fenômeno pontual da pandemia: outro estudo recente aponta que a estimativa é de que o e-commerce brasileiro cresça 56% até 2024.

Além disso, relatório da XP Investimento indica que o comércio eletrônico deve crescer 32% em 2021. De olho no crescimento do comércio virtual, a Shipay desenvolveu uma solução para que varejistas possam receber pagamentos por QR Code em suas lojas online de modo integrado e com muita facilidade.

“Nossa integração é bem simples e através de API. Oferecemos toda documentação técnica, ambiente de homologação e conta com nosso suporte durante o período de integração sem custo!

Em outras palavras, com uma única integração o e-commerce passa a aceitar PIX e carteiras digitais”, explica Paulo Loureiro, COO e Co-Founder da Shipay.

Incluir pagamentos digitais nas opções da loja online é uma forma de melhorar a experiência de compra do cliente, uma vez que os pagamentos são processados de forma instantânea com o PIX e as carteiras digitais oferecem uma série de vantagens, como descontos e cashback.

Na outra ponta, o varejista sai ganhando porque consegue mais fôlego no fluxo de caixa, evita gaps de mercadoria travada esperando prazos de
compensação de boletos e pode oferecer preços melhores aos clientes sem ser onerado com isso, tendo em vista as promoções já oferecidas pelas carteiras.

E aqui vale ressaltar o valor que esses descontos têm quando falamos de comércio eletrônico. Na pesquisa da Nielsen, um dado que merece muita atenção é o feedback dos entrevistados sobre a experiência de compra. A maior reclamação registrada é a respeito do custo do frete. Ou seja, se o varejista não tem margem para amenizar este custo – e entendemos o quanto isso realmente pode ser difícil em um momento de crise – as ofertas oferecidas pelas carteiras são uma forma de reduzir o valor da compra para o cliente final.

De olho nas oportunidades

Sabemos que 2020 não foi um ano fácil para muitos varejistas, entendemos também que essa nova realidade requer muita flexibilidade e adaptações profundas na operação para que o varejo possa recuperar as perdas e voltar a faturar.

Dito isso, é importante ressaltarmos os benefícios diretos para o varejista com a solução de e-commerce da Shipay. A primeira delas é que, como dissemos acima, qualquer loja virtual passa a aceitar pagamentos via PIX e carteiras digitais de forma integrada. O que isso significa na prática? Que todos os seus pagamentos digitais estarão centralizados em um só hub, o que facilita a organização do caixa e a conciliação dos pagamentos. Ou seja, é modernização e praticidade na operação financeira da sua empresa.

Loureiro ressalta outro ponto importante: “nossa solução integra direto com bancos (PSPs) para o PIX. Em outras palavras, o dono do e-commerce pode escolher em qual banco pretende receber e ter a liberdade de trocar quando julgar necessário”. Sendo assim, todo relacionamento bancário e preferências do varejista são respeitados.

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar que o PIX tem uma série de vantagens em comparação ao boleto. Além de mais prático e fácil para quem compra, tem taxas menores e liquidação 24×7. No vídeo abaixo você confere uma pequena demonstração da nossa solução já integrada em um de nossos parceiros, a Qualidoc. Trata-se de uma farmácia digital, com a plataforma completamente desenvolvida para oferecer melhor custo e comodidade na experiência de compra. Tendo em vista o contexto de isolamento social, uma farmácia digital surge como uma alternativa 100% aderente às necessidades do cliente.

Com o crescimento do PIX e das carteiras digitais, especialmente com a popularização das lives desde o ano passado e também das adaptações de programas de TV – que têm feito ações utilizando a exibição de QR Codes -, esse formato tem ganhado cada vez mais aderência com a população.

De olho nas oportunidades

Um grande destaque de crescimento em termos de venda de produtos online é o mercado pet. A pesquisa da Nielsen mostrou que o volume de pedidos online cresceu 143% em 2020 na comparação com o ano anterior. Em relação ao faturamento, houve um salto impressionante de 108% na mesma base de comparação.

Esse aumento pode ser explicado pela mudança de rotina massiva imposta pela pandemia. Com o home office sendo adotado em larga escala, as pessoas passaram a ficar mais tempo com seus pets e, consequentemente, passaram a comprar mais produtos para os seus bichinhos de estimação.

Seja qual for o segmento da sua empresa, é importante que você analise seu contexto com bastante critério e aberto a mudanças, para que possa aproveitar novas oportunidades e fazer o seu negócio crescer.

Como posso ter pagamentos digitais integrados em minha loja online?

Para integrar a solução da Shipay em sua loja virtual é bem simples, basta se cadastrar aqui. Nossa equipe entrará em contato para agilizar todo o processo de integração e em poucos dias a empresa estará apta a oferecer pagamentos por QR Code aos seus clientes.

Pagamentos Digitais para E-commerce

Pagamentos Digitais para E-commerce

As carteiras digitais estão tomando o mercado de e-commerce. E esse processo de mudança na forma como realizamos os pagamentos do dia a dia foi acelerado por conta da pandemia de coronavírus. Para se ter ideia, de acordo com um estudo da consultoria Bian, as carteiras digitais devem representar até 28% do total de pagamentos até 2022.

Outra pesquisa da SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) também mostra que 61% dos brasileiros com smartphones das classes A, B e C já realizam compras por meio das carteiras digitais. Destes, 47% disseram que o principal fator para pagamentos digitais é a praticidade.

Crescimento do e-commerce deve se consolidar no pós-pandemia

A pandemia ajudou a turbinar as compras em lojas virtuais. Segundo pesquisa da consultoria Ebit/Nielsen, apenas no primeiro semestre de 2020 o e-commerce nacional cresceu 47%. No período, cerca de 90,8 milhões de pedidos foram realizados.

E de acordo com a projeção da Kearney, o crescimento não deve parar no pós-pandemia, a estimativa é que o e-commerce brasileiro cresça, em média, 17% ao ano até 2024, chegando a alcançar R$ 69 bilhões a mais do que o esperado antes da pandemia nos próximos anos.

Economistas apontam para a tendência de mudança estrutural no varejo, que devem se habituar ao mundo digital para venderem mais por e-commerce do que em seus PDVs. A expectativa é que o futuro do varejo esteja no online.

Pagamentos digitais por QR Code no Brasil

Os dados da EBANX do início de 2020 mostram que o crescimento do e-commerce se deve ao crescimento de 16% nas compras via smartphones. Grandes marketplaces do mercado como Americanas, OLX, Magalu e Casas Bahia já realizam mais de 60% das vendas via mobile.

Para cerca de 16%, as carteiras digitais são os meios utilizados para as compras em sites internacionais. Com o crescimento das compras via celular, as carteiras digitais saem em vantagem pela praticidade.

Prova disso são as projeções da consultoria Bian, que estima que as compras com carteiras digitais no e-commerce devem alcançar 47% do total das vendas no e-commerce até 2022. Além da praticidade, as carteiras digitais são bastante atrativas para os consumidores porque oferecem sistemas de cashbacks, descontos em parceiros, entre outros benefícios.

Por que apostar nos pagamentos digitais para o e-commerce?

O pagamento via carteiras digitais pode ajudar a turbinar as vendas do seu e-commerce. Abaixo mostraremos quais são os principais motivos para apostar nesse meio de pagamento em 2021:

Forte proteção contra fraudes

As carteiras digitais identificam a identidade do comprador antes da realização da venda, isso ajuda a diminuir potencialmente as tentativas de fraudes neste meio de pagamento. Outro fator de proteção oferecido pelas carteiras é o uso de tokens para aprovação de pagamentos, o que garante a proteção das informações do consumidor e do varejista.

Oferece mais um meio de pagamento ao seu e-commerce

Aderir as carteiras digitais é uma forma de diminuir as perdas de vendas. Além de meios de pagamentos tradicionais no mercado nacional como boleto bancário e cartão de crédito ou débito, um e-commerce precisa adotar as carteiras digitais para rechear suas opções de pagamento.

Portanto, Essa é uma forma de estimular os clientes a compras, já que esse meio de pagamento está em pleno crescimento no mercado nacional.

As carteiras digitais também podem ser uma opção para clientes que compram com cartão de crédito, mas estão sem limite, por exemplo.

Pagamento e recebimento rápido

Os consumidores querem fazer compras rapidamente, com poucos cliques e bem rápido. E as carteiras digitais oferecem essa praticidade. O pagamento é feito na hora em poucos minutos, a aprovação é imediata e o produto já é liberado para download (no caso de produtos digitais) ou para entrega.

Para os varejistas, o recebimento também é bem mais rápido e diferente dos prazos adotados em boletos e cartões de crédito ou débito, é possível receber o dinheiro na hora ou dentro de alguns dias.

Isso facilita o andamento de um negócio, já que não será preciso esperar 14 ou 30 dias para receber os valores.  

Menos taxas e mais rendimentos

Para consumidores e varejistas, as carteiras digitais possuem taxas insignificantes. Em muitos casos, inclusive, não há cobrança de taxa em pagamento ou para recebimento dos valores. Isso é essencial para sair das altas taxas dos cartões de crédito e débito.

Como funcionam como uma conta corrente, as carteiras digitais geralmente oferecem opções de rendimento das aplicações superiores a poupança, rendendo na maioria das vezes, pelo menos, 100% do CDI. Isso significa que o dinheiro rende mais para o consumidor e para o e-commerce.

E-commerce deve seguir em alta em 2021

Segundo as projeções da consultoria Ebit/Nielsen, as vendas do e-commerce brasileiro devem crescer 26% em 2021, alcançando um faturamento de R$ 110 bilhões no ano. Para a consultoria, a consolidação e surgimento de novas lojas virtuais e marketplaces deve se acentuar neste ano.

Close Bitnami banner
Bitnami