E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

E-commerce pode oferecer pagamentos por QR Code com sistema da Shipay

Comércio eletrônico decolou no último ano e tem terreno fértil para continuar crescendo. Entenda como a solução da Shipay pode ajudar varejistas a surfar essa onda.

Somente em 2020, 13,2 milhões de pessoas fizeram compras pela internet pela primeira vez no Brasil. O volume é 23% maior do que o registrado em 2019 e, ao todo, o comércio eletrônico fechou o último ano com crescimento de 29% no número de consumidores, novos ou não. Em termos de faturamento, um recorde impressionante: R$ 87 bilhões, cerca de 41% a mais do que o registrado no ano anterior. Os dados fazem parte da Pesquisa Webshoppers, realizada pela Ebit|Nielsen em conjunto com a Bexs Banco.

Os números da consultoria apenas confirmam a trajetória de ascendência do e-commerce no Brasil e a necessidade dos varejistas adequarem seus negócios para estarem presentes também no ambiente online. Se engana quem pensa que esse crescimento é um fenômeno pontual da pandemia: outro estudo recente aponta que a estimativa é de que o e-commerce brasileiro cresça 56% até 2024.

Além disso, relatório da XP Investimento indica que o comércio eletrônico deve crescer 32% em 2021. De olho no crescimento do comércio virtual, a Shipay desenvolveu uma solução para que varejistas possam receber pagamentos por QR Code em suas lojas online de modo integrado e com muita facilidade.

“Nossa integração é bem simples e através de API. Oferecemos toda documentação técnica, ambiente de homologação e conta com nosso suporte durante o período de integração sem custo!

Em outras palavras, com uma única integração o e-commerce passa a aceitar PIX e carteiras digitais”, explica Paulo Loureiro, COO e Co-Founder da Shipay.

Incluir pagamentos digitais nas opções da loja online é uma forma de melhorar a experiência de compra do cliente, uma vez que os pagamentos são processados de forma instantânea com o PIX e as carteiras digitais oferecem uma série de vantagens, como descontos e cashback.

Na outra ponta, o varejista sai ganhando porque consegue mais fôlego no fluxo de caixa, evita gaps de mercadoria travada esperando prazos de
compensação de boletos e pode oferecer preços melhores aos clientes sem ser onerado com isso, tendo em vista as promoções já oferecidas pelas carteiras.

E aqui vale ressaltar o valor que esses descontos têm quando falamos de comércio eletrônico. Na pesquisa da Nielsen, um dado que merece muita atenção é o feedback dos entrevistados sobre a experiência de compra. A maior reclamação registrada é a respeito do custo do frete. Ou seja, se o varejista não tem margem para amenizar este custo – e entendemos o quanto isso realmente pode ser difícil em um momento de crise – as ofertas oferecidas pelas carteiras são uma forma de reduzir o valor da compra para o cliente final.

De olho nas oportunidades

Sabemos que 2020 não foi um ano fácil para muitos varejistas, entendemos também que essa nova realidade requer muita flexibilidade e adaptações profundas na operação para que o varejo possa recuperar as perdas e voltar a faturar.

Dito isso, é importante ressaltarmos os benefícios diretos para o varejista com a solução de e-commerce da Shipay. A primeira delas é que, como dissemos acima, qualquer loja virtual passa a aceitar pagamentos via PIX e carteiras digitais de forma integrada. O que isso significa na prática? Que todos os seus pagamentos digitais estarão centralizados em um só hub, o que facilita a organização do caixa e a conciliação dos pagamentos. Ou seja, é modernização e praticidade na operação financeira da sua empresa.

Loureiro ressalta outro ponto importante: “nossa solução integra direto com bancos (PSPs) para o PIX. Em outras palavras, o dono do e-commerce pode escolher em qual banco pretende receber e ter a liberdade de trocar quando julgar necessário”. Sendo assim, todo relacionamento bancário e preferências do varejista são respeitados.

Por fim, mas não menos importante, vale lembrar que o PIX tem uma série de vantagens em comparação ao boleto. Além de mais prático e fácil para quem compra, tem taxas menores e liquidação 24×7. No vídeo abaixo você confere uma pequena demonstração da nossa solução já integrada em um de nossos parceiros, a Qualidoc. Trata-se de uma farmácia digital, com a plataforma completamente desenvolvida para oferecer melhor custo e comodidade na experiência de compra. Tendo em vista o contexto de isolamento social, uma farmácia digital surge como uma alternativa 100% aderente às necessidades do cliente.

Com o crescimento do PIX e das carteiras digitais, especialmente com a popularização das lives desde o ano passado e também das adaptações de programas de TV – que têm feito ações utilizando a exibição de QR Codes -, esse formato tem ganhado cada vez mais aderência com a população.

De olho nas oportunidades

Um grande destaque de crescimento em termos de venda de produtos online é o mercado pet. A pesquisa da Nielsen mostrou que o volume de pedidos online cresceu 143% em 2020 na comparação com o ano anterior. Em relação ao faturamento, houve um salto impressionante de 108% na mesma base de comparação.

Esse aumento pode ser explicado pela mudança de rotina massiva imposta pela pandemia. Com o home office sendo adotado em larga escala, as pessoas passaram a ficar mais tempo com seus pets e, consequentemente, passaram a comprar mais produtos para os seus bichinhos de estimação.

Seja qual for o segmento da sua empresa, é importante que você analise seu contexto com bastante critério e aberto a mudanças, para que possa aproveitar novas oportunidades e fazer o seu negócio crescer.

Como posso ter pagamentos digitais integrados em minha loja online?

Para integrar a solução da Shipay em sua loja virtual é bem simples, basta se cadastrar aqui. Nossa equipe entrará em contato para agilizar todo o processo de integração e em poucos dias a empresa estará apta a oferecer pagamentos por QR Code aos seus clientes.

Sistema de caixa com pagamentos por QR Code para MEIs, pequenos e médios empreendedores chega ao mercado

Sistema de caixa com pagamentos por QR Code para MEIs, pequenos e médios empreendedores chega ao mercado

Ganho competitivo: solução da vhsys vem com integração para que micro e pequenos empresários possam oferecer pagamentos por QR Code com facilidade.

O grande tropeço de quem fica reticente a se abrir para transformações é achar que toda mudança envolve grandes investimentos, equipes enormes e reformas estruturais significativas. Na verdade, o primeiro passo para que você possa mudar e crescer, é ter a mentalidade aberta para o fato de que o mundo está sempre em constante movimento.

Se você é varejista, dono de um pequeno negócio ou mesmo um trabalhador autônomo que trabalha com vendas, certamente sentiu os impactos das mudanças de comportamento de consumo com a chegada da pandemia – e quanto mais rápido entender esses novos hábitos, mais possibilidades terá para uma recuperação sólida.

Os pagamentos por QR Code não são apenas uma tendência passageira, eles vieram para ficar. E neste artigo você vai perceber que é muito simples se adaptar para oferecer essa opção aos seus clientes, independente do tamanho da sua empresa. 

Pesquisa do Capterra divulgada no segundo semestre do ano passado mostrou que os pagamentos digitais cresceram 32% desde o início da pandemia. Além disso, 96% das pessoas entrevistadas com carteiras digitais instaladas disseram que pretendem continuar usando o método de pagamento após o fim da crise sanitária. Com a chegada do PIX no mercado, essa tendência se fortalece ainda mais.

Em apenas dois meses de funcionamento, a plataforma de pagamentos instantâneos do Banco Central já havia superado o volume de transações de TED e DOC. O sucesso na adesão em transações entre pessoas físicas é um excelente sinal para a próxima etapa do Banco Central, que lançará uma funcionalidade de pagamento parcelado via PIX. 

Sistemas de caixa integrados para receber pagamentos por QR Code

A notícia é ótima para varejistas, tendo em vista a forte cultura brasileira de parcelamento das compras. Reginaldo Stocco, CEO e Founder da vhsys, empresa que fornece sistemas para micro e pequenos negócios, comenta que os pagamentos por QR Code têm ainda a vantagem de terem custos inferiores aos sistemas tradicionais. 

A empresa oferece uma solução focada em facilitar a vida de MEIs, pequenos e médios empresários, com sistemas que tornam a operação no dia a dia mais simples, inclusive o recebimento de pagamentos via QR Code. “Com a integração, a vhsys passa a disponibilizar de forma rápida aos empreendedores uma diversidade de soluções. Por conta de nossos desenvolvedores, não há necessidade de usar integrações individuais”, acrescenta Stocco. 

Dentre as muitas soluções oferecidas pela vhsys, a Shipay está focada especificamente na integração para os pagamentos por QR Code. Ou seja, um sistema de caixa para MEIs, pequenos e médios empresários que dá ao cliente a opção de pagar com QR Code, seja via PIX ou carteiras digitais.

Todos esses pagamentos são integrados em um só lugar, o que facilita a conciliação de caixa no fim do dia. Como o mercado de carteiras digitais vem crescendo de forma expressiva no Brasil, o consumidor ganha em usar esses meios de pagamento, tendo em vista que bancos e fintechs estão sempre se adiantando para oferecer descontos e vantagens. 

“Para usar essa solução é bem simples também, ele só precisa acessar no nosso sistema o aplicativo de integração entre vhsys e Shipay. E aí ele vai instalar, acessar o portal da Shipay para cadastrar as carteiras e pronto, já poderá receber tanto pelas carteiras digitais, como também pelo PIX.”, explica Stocco. 

Lembra que dissemos no início deste artigo que transformações significativas dependem muito mais de mentalidade aberta para o novo do que grandes investimentos? Pois bem, esse passo a passo simples de como ter a integração ativa em seu sistema de caixa é a prova de que basta muito pouco para você ter a possibilidade de oferecer mais experiências de qualidade aos seus clientes. 

Melhoria do fluxo de caixa e mais segurança para os clientes

Stocco reforça, por exemplo, o potencial do PIX para substituir definitivamente o boleto bancário. Neste caso, a grande vantagem para o empreendedor é ganhar fluxo de caixa, tendo em vista que o pagamento é compensado em apenas alguns segundos. Isso impede, por exemplo, que uma mercadoria fique “travada” no estoque até a compensação do boleto bancário, que pode levar de um a dois dias úteis. 

De um modo geral, os protocolos dos consumidores sobre segurança e higiene são fatores importantes em sua percepção de valor em relação a uma marca. Outra pesquisa feita recentemente mostrou que 3 a cada 5 brasileiros consideram os pagamentos sem contato como uma das medidas mais importantes a serem adotadas pelas empresas. Os pagamentos por QR Code podem ser feitos com mais de um metro de distância, com uso de barreira de acrílico entre operadores de caixa e clientes para tornar o ambiente mais seguro. 

Inclusão financeira

Também é muito importante levar em consideração os esforços que vêm sendo feitos para gerar mais inclusão financeira e aumentar a familiaridade da população com as ferramentas digitais. Os beneficiários do auxílio emergencial, por exemplo, puderam usar os recursos diretamente pela carteira digital da Caixa, sem a necessidade de enfrentar filas em agências bancárias.

O mesmo agora vale para quem recebe recursos do Bolsa Família. Se antes o dinheiro precisava ser sacado integralmente, agora os beneficiários podem usar os recursos em uma conta digital, tanto para fazer compras quanto para pagamentos. Todos esses incentivos gradualmente afastam a população do uso do dinheiro em espécie. 

Quanto mais preparado sua empresa estiver para os pagamentos digitais, mais oportunidades poderá enxergar. “Foque no seu negócio e mantenha-o em constante evolução, com a pandemia tivemos muitas dores econômicas mas ao mesmo tempo muitas oportunidades”, finaliza Stocco.   

Como um micro empreendedor individual, pequeno ou médio empresário, você entende a importância de manter o seu negócio atualizado e oferecer aos seus clientes a opção de pagar com QR Code. Se você ainda não sabia como atualizar o seu sistema de caixas, nós trouxemos a resposta.

Pagamentos por QR Code para supermercados

Pagamentos por QR Code para supermercados

Os supermercados tiveram de se reinventar em 2020. O processo de transformação digital destes estabelecimentos passou por uma forte aceleração no último ano. Grande parte das redes começou a aceitar meios de pagamentos digitais, viabilizando novas formas de pagamento como, por exemplo, as compras por meio de QR Code.

m entrevista ao jornal Extra, o presidente da ASSERJ (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro), Fábio Queiroz, explicou que o movimento de aceitação por parte dos supermercados começou por algo novo: a necessidade de as pessoas usarem sua conta do Auxílio Emergencial.

Assim, a maior parte das redes foi aos poucos começando a aceitar as carteiras digitais em suas lojas.  Mas para oferecer pagamentos digitais é preciso ter processos bem estruturados e sistemas integrados. Só assim toda essa dinâmica se torna funcional.

Uma integração muito bem avaliada por donos de supermercados surgiu na cooperação entre a Shipay e a GDOOR Sistemas. A integração oferecida pela parceria entre as empresas oferece funcionalidades para controle operacional e administrativo, além de pagamentos com carteiras digitais em uma só plataforma.

Conversamos com Marcelo Stivanello, o Product Owner da GDOOR, e com o CEO da Shipay, Paulo Loureiro sobre a parceria e a necessidade da integração do PDV com os meios de pagamentos digitais. Confira abaixo algumas perguntas que foram levantadas e as considerações apresentadas pelas empresas.

Como surgiu a parceria da GDOOR Sistemas com a Shipay que permite pagamentos por QR Code para supermercados? Quais são os benefícios que essa parceria proporciona aos clientes?

O Marcelo respondeu que ‘a parceria surgiu para atender uma necessidade dos Sistemas GDOOR em integrar pagamentos com carteiras digitais’. Essa integração ‘facilita e agiliza processos de pagamentos para os clientes da empresa no dia a dia, dinamizando processos’.

Segundo o Paulo, ‘a GDOOR Sistemas é um parceiro estratégico não apenas por conta do seu grande número de clientes, mas também pela preocupação em lançar soluções inovadoras e capacitar os seus revendedores’. Para a Shipay isso ‘é muito importante, já que objetivo da empresa sé ter um impacto positivo na vida dos lojistas’.

“O modelo de parceria da Shipay tem muito valor para parceiros como a GDOOR porque, com essa colaboração, conseguimos viabilizar pagamentos digitais de uma forma simples rápida”.

– Paulo Loureiro, CEO da Shipay.

Além disso, o executivo destacou que a Shipay também se preocupa em ser um parceiro de negócios. Segundo ele, “mesmo que os pagamentos digitais estejam crescendo de forma acelerada, há um período de adaptação. Então, nós também focamos nessa parte de marketing e comunicação para garantir que os nossos parceiros vendam da melhor maneira possível”.

Como os supermercados estão se adaptando aos pagamentos digitais como o PIX?

“A adaptação vem ocorrendo muito bem, pois todo o processo é muito simples. Sempre tivemos como meta desenvolver e aprimorar nossos sistemas para que a experiência do usuário seja a mais simples possível. Muitos estão interessados no PIX, visto que seus clientes buscam trabalhar com esta modalidade de pagamento. dessa forma a empresa precisa estar atenta e constantemente se atualizando”, afirma Marcelo.

Quais são os principais benefícios que as soluções da Shipay e da GDOOR Sistemas trazem para os supermercados?

O Marcelo mencionou que ‘a integração Shipay/GDOOR agiliza as filas do estabelecimento, pois acelera o processo de pagamento. Isso transforma a experiência do cliente de maneira positiva’. Quando os pagamentos digitais são facilitados, isso mostra que ‘o estabelecimento está antenado, acompanhando as novas tendências de consumo’.

“O valor da integração Shipay/GDOOR para pagamentos por QR Code para supermercados é ainda maior. Como este segmento é muito sensível a taxas e ao fluxo de caixa, os pagamentos digitais reduzem as taxas e tornam o prazo de liquidação bem menor”, explica Loureiro.

De acordo com o Product Owner da GDOOR, Marcelo Stivanello, ‘o PDV é fundamental para a empresa, visto que é o registrador das vendas e um local diretamente ligado com o atendimento ao cliente’.

“Nosso PDV é descomplicado, pois entendemos que entre as preocupações do usuário não deve estar o funcionamento disso ou daquilo. A ideia é que com um treinamento rápido, o usuário já entenda e domine o funcionamento da ferramenta”, completa ele.

Com os pagamentos digitais integrados no sistema de PDV é possível realizar vendas com o valor travado da compra e receber a confirmação do pagamento online. Isso otimiza a experiência de atendimento do caixa, deixando-a muito mais rápida e descomplica o fluxo do supermercado.

O futuro do varejo está nos pagamentos digitais e instantâneos?

“Chegamos em um momento onde os pagamentos digitais e instantâneos já deixaram de ser tendência. Eles são a realidade! Estamos falando de modalidades de pagamentos completamente democráticas que trazem benefícios tanto para quem paga como para quem recebe”, afirma Paulo Loureiro.

Uma pesquisa da Capterra aponta que houve um aumento de 32% no volume de pagamentos digitais desde março de 2020. Os dados também mostram que 95% dos consumidores que já realizaram compras por meio dos pagamentos digitais deve seguir utilizando essa forma de pagamento nos próximos anos.

O estudo Generation Pay da fintech World Pay mostra que 40% dos brasileiros já utilizam meios digitais de pagamento. Isso mostra que o PDV precisa estar integrado às carteiras digitais e ao PIX a fim de viabilizar pagamentos por QR Code para supermercados.

A tendência é que, nos próximos anos, estes meios de pagamentos se tornem a realidade para a maioria das pessoas não só do Brasil, mas do mundo inteiro.

Como os bancos estão se preparando para oferecer o PIX aos seus clientes?

Como os bancos estão se preparando para oferecer o PIX aos seus clientes?

Com lançamento previsto para novembro deste ano, o PIX tem sido pauta frequente no noticiário econômico e vem despertando a curiosidade da população. Já falamos bastante sobre esse tema na #Shipay, mas a menos de dois meses do lançamento do produto no mercado, é interessante entender como as instituições financeiras estão se preparando para oferecer essa ferramenta. Ao todo, sabe-se que existem 980 instituições cadastradas junto ao Banco Central para oferecer o PIX aos clientes, sendo que para aquelas com mais de 500 mil clientes na base é obrigatório disponibilizar o novo método de pagamento.

Como já poderíamos esperar, as fintechs foram as que mais se anteciparam em informar os clientes sobre o PIX e também em oferecer a opção de pré-cadastro das chaves, como mostra esse levantamento feito pelo Canaltech. A partir do dia 5 de outubro o Banco Central deve começar a efetivar as chaves dos usuários. Uma das instituições listadas na reportagem, inclusive, investiu no recurso de biometria para validar as transações feitas via PIX.

Em relação aos grandes bancos, havia muita dúvida sobre como essas instituições iriam se posicionar quanto à divulgação da nova plataforma, uma vez que o PIX surge como uma possibilidade que poderia tornar obsoletas as transações via TED e DOC, já que chega ao mercado com com vantagens competitivas como transações instantâneas em poucos segundos, a qualquer dia e horário e com custo baixíssimo.

No entanto, o Santander surpreendeu o mercado com o lançamento de uma grande campanha publicitária, que inclusive viralizou rapidamente, com a presença da atriz Ana Paula Arósio. Nessa campanha, o banco demonstrou que terá uma plataforma própria, com o uso do PIX do Banco Central por trás, certamente uma estratégia para reforçar a marca diante dos concorrentes, tendo em vista a obrigatoriedade de oferecer o produto. Além disso, também atrelou alguns produtos do banco à plataforma, como uma maneira de oferecer um diferencial competitivo.

De um modo geral, as instituições estão tratando de oferecer informações claras a respeito do funcionamento do PIX, algumas com mais investimento em levar esse conhecimento aos clientes, outras com informações um pouco mais rasas. Itaú e C6 informaram que vão começar a fazer o cadastro das chaves a partir do dia 5 de outubro, data oficial do Bacen para início dos registros. As estratégias de divulgação têm acontecido em seus próprios sites e redes sociais, sendo que algumas delas chegaram a desenvolver hotsites ou especiais com as principais informações sobre o produto para abordar o tema de uma forma mais ampla.

Como será o comportamento de mercado em relação ao PIX, nós só saberemos com total certeza após o lançamento, mas tudo aponta para uma adesão massiva do produto (isso é assunto para conversarmos melhor em um próximo artigo). Em todo caso, com o cadastro massivo de instituições junto ao BC para oferecer a ferramenta aos clientes, seria um tiro no pé não aderir à divulgação e perder fatia de mercado simplesmente por relutância.

A solução da #Shipay já vem integrada para receber via PIX no PDV da sua loja.

Tudo sobre o PIX

Tudo sobre o PIX

O PIX é o sistema de pagamentos instantâneos brasileiro. Anunciado pelo Banco Central em 19 de fevereiro, o PIX estará disponível para a população a partir de novembro deste ano e terá a participação dos principais bancos e carteiras digitais atuantes no mercado nacional.

Com o PIX, as transferências de valores e os pagamentos se tornarão bem mais rápidos, ocorrendo em tempo real. Não será mais preciso aguardar dias para receber o pagamento de uma compra ou uma transferência de dinheiro de um parente/amigo, essas transações ocorreram em, no máximo, 10 segundos pelo PIX.

Características do PIX

Com o intuito de promover a inclusão financeira e melhorar a experiência dos clientes, o PIX chega com características bem definidas, confira quais são elas abaixo:

Disponibilidade

O serviço estará disponível no formato 24×7 (24 horas por dia, 7 dias por semana), ou seja, será possível fazer transações em qualquer dia ou horário da semana, mesmo em fins de semana e feriados.

Velocidade

As transações serão realizadas em até 10 segundos por meio dos recursos do PIX.

Conveniência

A experiência do usuário será muito mais agradável pelo PIX. O formato utilizado para fazer pagamentos e/ou transferências será bem mais amigável, possibilitando pagamento por meio de QR Code ou chaves, diretamente no smartphone pelo aplicativo do banco ou no sistema de caixa de qualquer loja.

Ambiente Aberto

O PIX tem uma estrutura flexível e está aberto a participação de todos. A intenção é garantir o acesso aos consumidores em novos serviços inovadores mais funcionais e com taxas mais atrativas.

Multiplicidade de casos de uso

Com o PIX, podem ser realizados pagamentos de qualquer valor, seja a transferência/pagamento realizadas entre empresas, entre pessoas comuns ou de consumidores para empresas. Será possível pagar boletos, compras em estabelecimentos comerciais sem precisar de intermediário.

Fluxo de dados com informações agregadas

Informações importantes para a conciliação de pagamento poderão cursar junto com a ordem de pagamento, o que facilita a automatização e o surgimento de novos modelos de negócios.

O que muda no mercado com a chegada do PIX

O PIX tende a trazer soluções para os problemas existentes hoje, quando o assunto é transferência e pagamento. Para que você possa entender melhor, vamos mostrar como é possível transferir dinheiro ou pagar contas atualmente e o que muda com a chegada do PIX.

Hoje, existem duas formas de enviar dinheiro para outras pessoas ou empresas, são elas: TED e DOC.

Confira abaixo como eles funcionam:

  • TED: Uma pessoa pode transferir até R$ 5 mil para outra pessoa/empresa para uma conta da mesma instituição ou de qualquer outro banco. O valor é creditado no mesmo dia até as 17 horas.
  • DOC: Ao fazer um DOC, uma pessoa pode transferir até R$ 4.999,99 para transferir o dinheiro para outra conta do mesmo banco ou de outra instituição. Transferências feitas até às 22h caem na conta de destino no dia seguinte, mas podem levar mais de um dia útil para serem creditadas.

Outro ponto importante é que TED e DOC só funcionam em dias úteis. Por isso, transferências feitas nos finais de semana ou em feriados nacionais são completadas apenas no próximo dia útil.

Já pagamentos podem ser feitos pelo cartão de débito, o que dependendo do plano do empreendedor, faz o dinheiro cair na hora ou após 1 dia da compra. Em relação ao pagamento no boleto, existe taxa para emissão do boleto paga pelo consumidor, só é possível pagar em dias úteis e o valor pode demorar alguns dias para ser creditado.

Veja abaixo como o PIX resolve as limitações para pagamentos/transferências atuais:

Disponível a qualquer momento

O PIX funcionará no formato 24×7, por isso é possível realizar transações a qualquer momento. Dessa forma, a limitação de enviar dinheiro ou receber pagamentos apenas em dias úteis será eliminada com o uso do PIX.

Transações em tempo real

A realização de pagamentos ou envio de dinheiro acontece em tempo real, levando até 10 segundos para serem completadas. Não é preciso de intermediador, então o dinheiro de uma conta diretamente para a outra com mais agilidade. Isso acaba com o problema de ter de esperar dias para receber valores transferidos ou referentes a pagamentos.

Transações instantâneas entre bancos diferentes

Atualmente, muitas pessoas preferem fazer transferências para contas do mesmo banco porque elas são instantâneas. Quando se transfere dinheiro para uma conta de outro banco é preciso esperar horas ou dias para que o valor seja creditado.

O PIX acaba com isto, tornando as transferências entre bancos gratuitas e instantânea. Hoje, dependendo do valor, os bancos cobram uma taxa para fazerem TED ou DOC de quem está fazendo a transferência.

Como serão realizadas as transações no PIX?

Será possível realizar pagamentos/transferências pelo PIX das seguintes formas:

Informando os dados bancários

Como fazemos hoje com TED e DOC, será possível enviar dinheiro informando os dados bancários do recebedor como nome completo, CPF, agência, número da instituição e conta.

Informando a chave PIX

Cada usuário do PIX poderá adicionar uma chave a cada conta que já possui. As chaves podem ser o CPF ou CPNJ, número de celular ou e-mail. Assim, quem irá fazer a transferência pode utilizar a chave passada pelo recebedor para realizar o envio do dinheiro.

Pagamento com o BR Code

O BR Code é o formato de QR Code padrão adotado pelo Banco Central para o PIX. Esse código pode ser tanto estático, sendo usado por diversas vezes para realizar transações ou dinâmico, quando a cada transação é gerada um código diferente.

Esse formato de pagamento será bastante utilizado no comércio e usuário só precisará abrir a câmera do seu smartphone para escanear o BR Code e realizar o pagamento.

Close Bitnami banner
Bitnami