Com R$ 1 bilhão em transações de pagamentos digitais, Shipay aponta o caminho para o varejo crescer

Com R$ 1 bilhão em transações de pagamentos digitais, Shipay aponta o caminho para o varejo crescer

Experiente em criar soluções customizadas para integrar pagamentos digitais, a empresa abre caminho para que o varejista possa se recuperar no cenário pós-pandêmico.

O economista Theodore Levitt já dizia: “Criatividade é pensar coisas novas, inovação é fazer coisas novas”, e a Shipay vem seguindo a lição à risca: enquanto a criatividade nos dá fôlego para criar novos serviços e soluções, a nossa expertise e senso prático puderam realizar um grande sonho: em apenas pouco mais de um ano de atuação no mercado, atingimos a marca de R$ 1 bilhão em transações no mês de julho! 

Para nós, isso é mais do que um número representativo, é a prova de que estamos na direção correta, oferecendo serviços e produtos de acordo com as necessidades do varejo. Nascemos com a premissa de facilitar pagamentos digitais e seguimos com esse escopo em nosso DNA. É uma grande satisfação para toda a nossa equipe ver como ao longo de tão pouco tempo no mercado, conseguimos um dinamismo muito grande para ampliar nossas soluções e atender clientes e parceiros com a agilidade e eficiência que é necessária em tempos de tantas mudanças aceleradas. 

Junto a esse balanço positivo, trazemos neste artigo algumas percepções relevantes a respeito do varejo neste novo momento. 

Benefícios da Shipay para parceiros e clientes

A gente sabe que a propaganda boca a boca é uma das mais eficientes, além disso é também muito satisfatória, pois reflete a satisfação do cliente. Neste sentido, nosso Co-CEO e fundador da Shipay, Luiz Coimbra, se alegra ao destacar como a empresa vem sendo reconhecida por clientes e parceiros. 

“O ponto mais interessante é exatamente a preocupação da Shipay com nosso modo de simplificar pagamentos digitais, o que fazemos nada mais é do que auxiliar os nossos parceiros para que eles possam gerar uma experiência de pagamento mais simples, mais direta, com menos complicações e mais agnóstica para os clientes deles. No final, o cliente do nosso parceiro é que tem que se sentir confortável de pagar via Pix, via carteira digital e aproveitar os benefícios desses pagamentos. Nossos parceiros podem capturar todos os benefícios da plataforma que a Shipay oferece, com conciliação de caixa,  integração de pagamentos e com muita simplicidade. O feedback tem sido muito positivo e quem mais gera esse retorno são os nossos clientes, recomendando a Shipay para outros parceiros. Para a gente, é o melhor reconhecimento de todos”, comenta.

O aumento da segurança nas transações é outro ponto importante, como explica Charles Hagler, também Co-CEO e fundador da empresa. “A gente tem notado com os parceiros que o principal ponto de feedback positivo é a possibilidade de evitar fraudes. Com o crescimento do Pix e dos pagamentos digitais, quem recebe de uma forma improvisada fica exposto a fraudes, enganos e desvios. O fato dos pagamentos estarem integrados no sistema, com toda a segurança que a gente traz por trás, com token e a confirmação direta na instituição financeira na tela do PDV, possibilita que o varejista receba por esses novos pagamentos, mas com segurança e confirmação em tela. O fato de estar integrado também traz mais fluidez na utilização do serviço, porque é tudo feito na tela, então ele consegue reduzir as filas e oferecer o serviço com muita confiabilidade”, pontua. 

Os riscos de receber o Pix de forma improvisada

Com a população gradualmente se vacinando, o movimento nas ruas também vai aos poucos se normalizando. Para 2021, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) projeta um crescimento de 3,9% no comércio. Neste momento de retomada, o mais importante é que o varejista esteja em dia com as transformações que aconteceram neste período de pandemia, para que possa recuperar suas perdas e voltar a lucrar. “O mais importante é que o consumidor passou um período longo com um relacionamento muito próximo dos pagamentos digitais, fazendo pedidos por delivery, comprando via QR Code, usando os pagamentos digitais e as compras online. A vida vai voltar ao normal aos poucos, o varejista tem que entender que apesar desse cliente buscar uma interação física, ele não vai abrir mão dos ganhos que teve com pagamentos digitais, com instantaneidade. É muito importante o varejo estar preparado para entender que as necessidades desses clientes mudaram”, orienta Coimbra. 

Ele completa ainda que essa é uma oportunidade do varejista fidelizar seus clientes novamente. “A Shipay está muito preparada para orientar e dar suporte ao varejo, permite que ele tenha uma solução robusta, customizada e o mais importante, que atenda aos desejos desse cliente neste momento”.

Neste sentido, Hagler acrescenta ainda que os pagamentos digitais preservam também a premissa do distanciamento social e a segurança nas transações. Ainda que os impactos da pandemia sejam reduzidos no longo prazo, o vírus permanece em circulação e quanto mais os comércios puderem oferecer uma experiência low touch ao cliente, melhor para a reputação dessas lojas. 

Hagler reforça também o potencial das carteiras digitais para atrair os clientes para as lojas nesse momento de retorno para as lojas físicas. “As carteiras digitais são uma forma de chamar atenção para a loja, pois tem a possibilidade de oferecer promoções com cashback, aparecer no mapa do aplicativo da carteira, criar diferencial com a concorrência. Então se você tem uma loja com produto igual ao do seu concorrente, como uma pizza, você dá desconto para quem paga com Mercado Pago, ou 10% de cashback com PicPay ou Ame, isso atrai mais fluxo para a loja”, aconselha. 

Por fim, ele também reforça que o varejista precisa oferecer uma experiência tão boa quanto o cliente vem tendo no e-commerce. “Se o cliente está acostumado a pagar com Pix quando ele pede no e-commerce, é importante poder fazer isso também na loja física. Se está acostumado a pegar um cashback com uma carteira digital quando pede no e-commerce, deve poder fazer isso também na loja física”.

Quer receber pagamentos por QR Code direto na tela do seu PDV, no e-commerce ou nos seus canais digitais?

Como o varejo pode se beneficiar com as novas funções do PIX

Como o varejo pode se beneficiar com as novas funções do PIX

Já tem um tempo que o Banco Central vem divulgando as novas funções do PIX, previstas na agenda da autoridade monetária e implantadas gradativamente. Uma das novidades, inclusive, já começou a funcionar há alguns dias: a integração com a lista de contatos do celular.

Dessa forma, os contatos telefônicos do usuários que estiverem cadastrados no PIX aparecerão no sistema do banco ou fintech automaticamente na hora de fazer uma transferência. Do ponto de vista de adesão, a função cumpre um papel importante. 

Algumas funções que estão na pauta de lançamentos do Banco Central são especialmente importantes para o varejo. É o caso do PIX QR Code Offline, Saque PIX, PIX Garantido e PIX Agendado. Vou falar um pouco mais sobre como cada um deles é importante para o varejista. 

PIX QR Code Offline

O Brasil é um país com proporções continentais e muitas regiões do país sofrem com rede de internet escassa ou de péssima qualidade. Além disso, grande parte da população faz uso de serviço pré-pago de celular. Com o PIX QR Code Offline, o varejista consegue receber o pagamento mesmo se o cliente estiver sem internet no celular.

Saque PIX

Com essa função, os lojistas terão um papel ainda mais ativo na circulação de dinheiro na economia, pois poderão funcionar como um “caixa eletrônico”. Ou seja, o cliente faz um PIX para o varejista e recebe o valor em dinheiro. Essa função reduz as despesas logísticas com transporte de valores e também diminui a exposição do lojista, tendo em vista que com menos dinheiro em espécie em caixa, ele reduz os prejuízos em caso de assalto

PIX Garantido

Essa será uma das funções mais competitivas, tendo em vista que permitirá ao varejo fazer compras parceladas usando o PIX como forma de pagamento. Tendo em vista a forte cultura brasileira de comprar em parcelas, essa ferramenta tem muito potencial para acelerar a adoção do PIX no varejo. 

PIX Agendado

Essa função poderá substituir os DOCs e TEDs agendados, o que é muito interessante para o lojista, pois já sabemos que os custos do PIX são muito mais competitivos do que os outros dois modelos de transações. Com o PIX Agendado, o varejista pode se organizar para agendar pagamento de salários, fornecedores, aluguel, etc. 

De um modo geral, entendemos que o PIX é uma ferramenta transformadora e que pode ser uma grande aliada do varejista neste momento em que os esforços coletivos estão centrados em retomar as vendas e reagir à crise econômica. Além disso, sabemos que a digitalização da economia é um caminho sem volta, ou seja, o varejista que se preparar e se adaptar a essas mudanças, terá maior possibilidades de sobreviver a este momento de dificuldades.

Quero receber PIX em sua loja física ou online?

Desafios do varejo: lições aprendidas e tendências importantes para o pós-pandêmico

Desafios do varejo: lições aprendidas e tendências importantes para o pós-pandêmico

Se há pouco mais de um ano o varejista tentava entender como iria se adaptar ao cenário imposto pela pandemia, no momento presente sua preocupação é decifrar que realidade é essa que o espera no cenário pós-pandêmico – que logo, logo está chegando.

Hoje, eu trazemos aqui um apanhado de considerações valiosas para o varejo, com destaque para alguns segmentos, como alimentação, farmácia, eletroeletrônicos e itens para a casa. As avaliações foram feitas com base no relatório “Tendências e Nova Realidade: 1 ano de Covid-19”, realizado pela consultoria KPMG. Para saber mais a fundo sobre tendências voltadas para o e-commerce, recomendo a leitura deste outro artigo

Se há pouco mais de um ano o varejista tentava entender como iria se adaptar ao cenário imposto pela pandemia, no momento presente sua preocupação é decifrar que realidade é essa que o espera no cenário pós-pandêmico – que logo, logo está chegando. Hoje, eu trago aqui um apanhado de considerações valiosas para o varejo, com destaque para alguns segmentos, como alimentação, farmácia, eletroeletrônicos e itens para a casa. As avaliações foram feitas com base no relatório “Tendências e Nova Realidade: 1 ano de Covid-19”, realizado pela consultoria KPMG. Para saber mais a fundo sobre tendências voltadas para o e-commerce, recomendo a leitura deste outro artigo

Food Services e itens para a casa (incluindo eletrônicos) tiveram caminhos divergentes com o confinamento das pessoas, mas passaram por aprendizados semelhantes. Enquanto o primeiro foi um dos mais afetados pelo fechamento do comércio, o outro trilhou um caminho de crescimento, com o investimento das pessoas em aumentar o conforto de suas casas e apartamentos. A semelhança do aprendizado foi em acelerar ainda mais a adoção/melhoria das plataformas digitais como forma de adaptação às restrições da pandemia. Como resultado, esses segmentos saem mais fortalecidos e preparados para um ambiente digital com muito mais protagonismo e relevância do que no período anterior à pandemia. 

Entre as tendências apontadas pela consultoria, vale o destaque para a recomendação de avançar na adoção de pagamentos digitais para atender a demanda dos consumidores. Dados da World Pay from Fis mostram que os pagamentos com dinheiro físico caíram mais de 34%na América Latina, na comparação entre 2020 e 2019. No Brasil, as cédulas foram usadas em apenas 35% das transações em 2020, contra 47% no ano anterior. Antes da Covid-19, as carteiras digitais respondiam por 14% dos checkouts online da América Latina. Durante a pandemia, esse percentual saltou para 46%. 

Importante também destacar a importância de rever os modelos de negócios. As marcas precisam demonstrar que possuem um propósito, que são sustentáveis, se engajar socialmente e ter uma preocupação real com o cliente. É preciso lembrar que boa parte do varejo não abrirá lojas físicas com o fim da pandemia, ou seja, o foco estará totalmente centrado nos canais digitais. 

No varejo físico, é necessário repensar toda a experiência do cliente. Quanto menos contato ele precisar ter ao longo de sua jornada, melhor para sua marca. É importante entender que não se trata apenas de abrir ou fechar o comércio, existe um comportamento de consumo que foi completamente modificado com a pandemia. É fundamental rever as experiências para que os consumidores se sintam à vontade e seguros. 

Como integradora de pagamentos, a Shipay é uma grande aliada do varejo. Nossas soluções permitem que o varejista aceite Pix e carteiras digitais, com integração direta em seus PDVs/ERPs, loja online ou canais digitais.

7 motivos para escolher a Shipay como integradora dos seus pagamentos digitais

7 motivos para escolher a Shipay como integradora dos seus pagamentos digitais

Com ampla capacidade técnica, equipes focadas em desenvolver soluções personalizadas e robustez para fazer transações volumosas, Shipay vem consolidando grandes parcerias.

O varejo já entendeu que o consumidor mudou seus hábitos. E se não é mais novidade dizer que a digitalização da economia se acelerou com a pandemia de Covid-19, o grande varejo ainda precisa se adequar para atender o consumidor nesta nova realidade. Se a premissa de um bom serviço é ter as decisões centradas no cliente, a Shipay assume a posição de fornecer aos parceiros soluções customizadas de acordo com suas necessidades. Afinal, entendemos que se nossos parceiros desejam flexibilizar e personalizar a experiência de seus clientes finais, temos a responsabilidade de possibilitar que ele faça isso com soluções que também são customizáveis. 

Como integradora, o foco da Shipay é simplificar os pagamentos digitais. E para mostrar como essa filosofia está presente na estrutura do nosso negócio, trazemos neste artigo alguns exemplos de nossa atuação vanguardista e de como construímos solidez para atender grandes parceiros. 

1 – Arquitetura simples

A Shipay foi estruturada exclusivamente para pagamentos digitais, isso nos permite ter uma flexibilidade muito grande e adaptar as soluções de acordo com as necessidades dos clientes. 

2 – Somos agnósticos

Nossa arquitetura de negócios foi estruturada de uma forma muito agnóstica, podemos ter relacionamento com todos os bancos e carteiras digitais. Então conseguimos adequar as soluções de acordo com o modelo de negócios do nosso parceiro. “Um exemplo é a Porto Seguro. Estamos na régua de cobrança dos clientes deles, atuando com pagamentos PIX para aluguel de carros, colocando QR Code Pix para pagamento da fatura de cartão de crédito e trazendo carteiras digitais para a compra de seguros”,  explica Luiz Coimbra, Co-CEO e fundador da Shipay. 

Neste sentido, Charles Hagler, Co-CEO e fundador da Shipay, acrescenta ainda que com a Shipay o cliente tem a liberdade de escolha de ter sua solução de integração de pagamentos com a instituição que quiser. “Com a Shipay, o parceiro tem relacionamento direto com as instituições financeiras e pode aproveitar os benefícios em termos de taxas, descontos, promoções e cashback. Tem a liberdade de escolher as carteiras digitais e Pix como quiser”. 

3 – Foco na co-criação

Empresas diferentes certamente terão necessidades e desafios distintos. Trazemos a co-criação como premissa para que possamos entregar soluções personalizadas aos nossos clientes. Mergulhamos no desafio do cliente para desenharmos uma solução aderente ao que ele precisa.  “Com nossa arquitetura simples, conseguimos endereçar as necessidades de diversos tipos de clientes. Isso nos dá a flexibilidade para atender desde a padaria de bairro até grandes empresas de tecnologia como a Totvs, ou uma seguradora como a Porto Seguro”, destaca Coimbra. 

4 – Somos vanguardistas em inovação

Somos integradores de pagamentos digitais desde o nascimento da empresa e temos uma capacidade técnica muito grande dentro dessa área, especificamente no Pix. Isso nos possibilita construir soluções customizadas de serviços para atender nossos clientes. 

Antes mesmo de existir a documentação do Banco Central sobre o Pix com vencimento, juros, multa e mora, a gente percebeu que existia a possibilidade de alterar o tempo de expiração do Pix. Dessa forma, antes mesmo de existir o conceito de vencimento, a gente já conseguia adaptar o prazo de validade do Pix para os nossos clientes. A nova documentação do Banco Central veio como uma melhoria, pois possibilita a inclusão de juros, multa e mora. 

Mas de um modo geral, antes de existirem as novas funções previstas na agenda do Banco Central, a Shipay já criava funcionalidades em cima da documentação existente. 

5 – Suporte de verdade

Nosso suporte não se limita aos nossos produtos. A Shipay ajuda com o relacionamento com as instituições financeiras e dá todo suporte técnico tanto na integração quanto na utilização desses pagamentos. “Desde o onboarding até o dia a dia da operação quando surge algum problema, a Shipay oferece suporte ágil”, comenta Hagler. 

6 – Solidez para transacionar grandes volumes

Temos infraestrutura 100% instalável do ponto de vista técnico para transacionar grandes volumes com performance muito boa. “Somos o segundo maior operador de PIX para o Itaú e já temos vários grandes clientes em nosso portfólio, como Burger King, Porto Seguro, Constance, Boticário, entre outros”, explica Hagler. Além disso, em nosso painel os clientes encontram todas as informações necessárias para fazer a conciliação de caixa da empresa. 

7 – Evolução em pagamentos digitais

Toda a capacidade técnica e expertise da Shipay veio como uma evolução natural, conforme explica Coimbra. A empresa nasceu para endereçar uma necessidade latente do varejo físico, que é aproximar pagador e recebedor na loja física. Conseguimos integrar pagamentos digitais e, consequentemente, o Pix dentro do varejo. Fomos sendo desafiados para o desenvolvimento do e-commerce e surgiu nossa parceria com a Qualidoc, assim como no mundo físico a gente passou a se comunicar com diversas automações. O passo seguinte foi a procura por algumas grandes empresas para desenvolvermos soluções integrando a ERP ou para soluções customizadas. Começamos no mundo físico, evoluímos para o mundo digital e aos poucos fomos entrando no mundo corporativo de enterprises, dentro de soluções de pagamentos, pagamentos corporativos, substituição de boletos, fatura de cartão de crédito e cobranças de seguro. 

“Não foi algo que aconteceu da noite para o dia, foi uma evolução natural de negócio e pela capacidade de adaptação da Shipay. Fomos sendo demandados por nossos clientes e naturalmente conseguimos atender de uma forma muito primorosa”, comenta Coimbra. 

E por falar em evolução, também é bom lembrar que a aceleração da digitalização da economia faz com que as novidades neste ambiente se multipliquem a cada dia. Neste sentido, como parceira, a Shipay está sempre um passo à frente, levando aos parceiros e clientes a tranquilidade de que suas soluções de pagamento estarão sempre em dia com as novidades no mercado de pagamentos. “De fato, o ritmo (da chegada de novidades) é muito intenso, até mesmo grandes instituições financeiras, grandes empresas de software e grandes varejistas têm dificuldade de acompanhar e ficar em dia com essas novidades. A Shipay está na vanguarda deste universo de pagamentos, estamos sempre acelerados, lançando as novidades com antecedência. Assim, nossos players podem ficar centrados no core business deles que a gente facilita essa parte dos meios de pagamento”, finaliza Hagler. 

Está na hora de simplificar seus pagamentos digitais, não é mesmo? Fale com a gente e vamos resolver isso já! 

Entenda porque o seu negócio tende a melhorar os resultados com pagamentos digitais

Entenda porque o seu negócio tende a melhorar os resultados com pagamentos digitais

Ver o mercado de pagamentos digitais crescendo me traz satisfação não apenas pelo crescimento que a Shipay vem conseguindo neste processo, mas também por perceber claramente como o varejo pode se beneficiar com esse movimento.” – Luiz Coimbra . Co – CEO da Shipay.

Desde o início das atividades da Shipay, o foco sempre foi apoiar os varejistas e simplificar os pagamentos. Recentemente, nosso parceiro Sterna Café estampou uma reportagem da Folha de São Paulo que tratava justamente sobre como os pagamentos digitais estão facilitando a operação de pequenos negócios. 

Na matéria, a empresária e franqueada da rede, Valdirene Andrade, relatou que o sistema da Shipay facilitou muito o fechamento de caixa da loja, porque a integração alimenta o sistema de caixa automaticamente. Quando ela recebe pagamentos via cartão, por exemplo, é preciso fazer os lançamentos de modo manual. Outra informação importante compartilhada por ela à reportagem é de que, em média, a opção pelos pagamentos digitais tem crescido 15% por mês. A adesão crescente está em linha com o resultado de pesquisa feita pelo Ipec a pedido do C6 Bank: 67% dos brasileiros querem pagar suas compras no varejo com PIX

Os benefícios dos pagamentos digitais não se limitam às pequenas, médias e grandes empresas, os microempreendedores têm muitas vantagens ao oferecerem essas opções aos seus clientes. O primeiro deles é a economia de custos, tendo em vista que a operação é muito mais barata em relação aos métodos de pagamento tradicionais. Ainda que o Banco Central permita que instituições financeiras cobrem taxa pelo PIX, a concorrência acirrada faz com que a maioria das instituições mantenham as taxas muito baixas ou até mesmo isentam o comerciante dessa cobrança. No caso das carteiras digitais, o princípio é parecido e o custo é muito mais competitivo em relação aos pagamentos em crédito, débito e via boleto. 

A reportagem da Folha mostra ainda que dos 11,6 milhões de microempreendedores individuais cadastrados no Brasil, 69,4% já possuem chave PIX. Da mesma forma como a Shipay oferece soluções para varejistas de todos os portes, também temos soluções focadas nas operações dos microempreendedores. Isso facilita o recebimento de valores via PIX e carteiras digitais, com integração direta com o sistema que o microempreendedor utiliza. A grande vantagem é poder oferecer aos clientes a opção de pagar com QR Code, seja em loja física ou virtual. 

Tendo em vista a preferência dos brasileiros em usar o PIX como forma de pagamento, este é um grande diferencial para micro empresários, especialmente em um momento como o que estamos atravessando. Economia de custos e recuperação das vendas são as prioridades do microempreendedor neste momento. Vale lembrar que somente de março a julho de 2020, o Brasil teve um crescimento de 20% no número de MEIs em relação ao mesmo período de 2019. Ao todo, foram 600 mil novos entrantes, todos em busca de oportunidades com as novas demandas da pandemia. 

E neste aspecto, não dá para negar que os pagamentos digitais chegaram para ficar, tendo em vista que dão mais segurança ao cliente com as mudanças de comportamento em função do distanciamento social.

Close Bitnami banner
Bitnami