Falta menos de um mês para o lançamento do Pix, neste artigo você vai saber tudo sobre a API do pix. O cadastramento de chaves já está liberado e batendo recordes. O Banco Central já confirmou o registro de 337 milhões de chaves de usuários dos mais diversos bancos e fintechs do mercado.

Para facilitar o acesso a API do PIX e outros recursos do ecossistema de pagamentos instantâneos da plataforma, o Banco Central criou uma conta na GitHub, uma espécie de rede social para programadores, com o intuito de colocar com o esforço do banco no lançamento do PIX.

No perfil do Banco Central no GitHub é possível ter acesso a arquivos que tratam de forma técnica à API do PIX e entender como funcionará a integração dos PSPs com o SPI e o DICT.

Em comunicado oficial, o Banco Central explicou que a API referência foi disponibilizada no GitHub para facilitar e acelerar o processo de adesão da grande maioria dos PSPs, o que mostra que o PIX é uma prioridade estratégia da instituição. Como deu para perceber, para atuar nesse mercado os empreendedores precisaram da API do PIX e a SHIPAY pode facilitar todo esse processo. Se você quer entender como pode conseguir a API do PIX, leia este artigo até o fim. Convidamos o nosso CTO, Fábio Ikeno, para responder as principais perguntas sobre o tema, confira a entrevista abaixo:

O que é a API do Pix?

A API de Recebimento do PIX permitirá ao varejista integrar o sistema de Frente de Caixa (PDV) aos PSPs, automatizando o processo de recebimento por PIX via QR Code Dinâmico, explica Ikeno.

Sendo assim, esse sistema será responsável por cumprir a promessa do PIX de realizar pagamentos no varejo com segurança, rapidez e com maior facilidade.

Como funciona e quais são as principais funcionalidades da API do Pix?

A comunicação com a API do PIX se dará de forma segura através de mecanismos de autenticação modernos (OAuth2) e conexão criptografada (TLS mútuo).

Portanto, as chaves do PIX serão validadas pelo DICT (Diretório de Identificadores de Contas Transacionais) que fará a “tradução” da chave para a conta que o cliente cadastrou em seu banco ou carteira digital.

As especificações das APIs do PIX estão disponíveis no GitHub do Banco Central e pode ser utilizada por todos os interessados para se inteirar de todos os recursos.

O principal objetivo da API de Recebimento do PIX é a geração do QR Code Dinâmico. Ela também vai permitir a consulta de status, bem como realizar o estorno de um pagamento, tudo controlado pelo SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos) do Banco Central, explica Fábio Ikeno.

Além disso, o QR Code Dinâmico é um dos principais mecanismos para se evitar fraudes com PIX no varejo.

Ou seja, com a utilização do QR Code Dinâmico, o varejista tem a garantia de que o valor do pagamento cairá realmente em sua conta. No caso do QR Code Estático, existe o risco de alguém mal intencionado trocar o QR Code por um que direcione o dinheiro para outra conta.

Por isso, com o QR Code Dinâmico, o consumidor já vai visualizar na tela do aplicativo o valor da transação e não poderá mudar. Por outro lado, no QR Code Estático é o próprio consumidor quem digita o valor, podendo digitar errado, por exemplo.

Além disso, com a API do PIX, o varejista obterá a confirmação do pagamento na hora, garantindo que o consumidor realmente realizou o pagamento. Sem a API do PIX, o varejista pode ficar exposto a acreditar na tela de confirmação do aplicativo do consumidor, que pode ter sido fraudada.

Como fintechs podem utilizar a API para participar do Pix?

Além dos participantes diretos do SPI, compostos em sua maioria pelos bancos tradicionais e as principais fintechs do país, de acordo com o Banco Central, as instituições financeiras com mais de 500 mil contas são obrigadas a participar.

PSPs que oferecem contas transacionais para os consumidores também podem participar do PIX. A diferença é que os bancos comerciais, múltiplos com carteira comercial e Caixas Econômicas tem participação direta.

Portanto, as PSPs autorizadas pelo Banco Central podem ter participação direta ou indireta no PIX. E os demais PSPs não autorizados pelo BC tem participação indireta obrigatória na plataforma. Ikeno explica que as fintechs não-participantes do PIX podem facilitar a conexão dos varejistas à API do PIX, utilizando as chaves e certificado da conta do cliente.

Como funciona a API do Pix para bancos/fintechs e para clientes?

Os PSPs (bancos ou fintechs) deverão expor a API do PIX para os clientes, além de prover as chaves e certificado que o autenticarão na API. Já as fintechs não-participantes, poderão consumir os serviços da API do PIX, explica Ikeno.

Como conseguir a API do Pix? Como a Shipay facilita esse processo?

De acordo com Ikeno, a solução integrada que os sistemas de Frente de Caixa (PDV) já utilizam para oferecer o pagamento por carteira digital via Shipay também será utilizada para PIX.  A solução da Shipay faz todo o trabalho de conexão com a API do PIX, junto aos PSPs, fazendo com que o cliente não se preocupe com esse processo.

Em outras palavras, a Shipay (com uma única integração) simplifica a conexão do PDV com a API de Recebimento do PIX, além de oferecer o pagamento via carteiras digitais como Mercado Pago, PicPay, Ame e Pagbank, completa Ikeno.

Conseguiu entender o quanto a API do PIX é importante?

Por isso que este sistema que ajudará o PIX a cumprir os seus principais objetivos no varejo: evitar fraudes, funcionar 24×7, permitindo transações a qualquer momento e integrando o recebimento de pagamento instantâneos diretamente no PDV do varejista.

Close Bitnami banner
Bitnami
Close Bitnami banner
Bitnami