Como já era esperado, a Black Friday deste ano registrou resultados muito expressivos no comércio eletrônico, como consequência da pandemia de Covid-19 e as preocupações em manter o distanciamento social. O Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA) apontou uma queda de 25,5% no varejo físico, enquanto as vendas no comércio eletrônico tiveram um aumento de 21,2%. O índice faz o monitoramento de 1,5 milhão de varejistas no país.

Além disso, levantamento da Neotrust/Compre e Confie, empresa de inteligência de mercado focada no e-commerce, mostrou faturamento de R$ 5,1 bilhões nos dias 27 e 28, uma alta de 31% em comparação à Black Friday de 2019. Já a Nuvemshop, que reúne pequenas e médias empresas com comércio online, divulgou um faturamento de R$ 20,4 milhões, expressivos 105% acima do resultado obtido na Black Friday do ano passado.

O que esses números representam para o varejista?

Uma leitura mais rasa do contexto apontaria somente para a necessidade dos lojistas ampliarem seus espaços físicos para o virtual, mas o fato é que as tendências apontam muito mais para a prevalência de negócios que tenham uma integração bem estruturada entre seus ambientes físicos e digitais. Ambientes em que o consumidor tenha facilidade para transitar entre o online e o offline. Sinergia entre as ações de divulgação tanto nas lojas físicas quanto no site e redes sociais, facilidade e praticidade para efetuar pagamentos, sistemas responsivos, atendimento de qualidade tanto presencial quanto virtual.

De um modo geral, o consumidor se viu forçado a mudar drasticamente seus hábitos de consumo em 2020, assim como tende a priorizar sempre métodos que se mostrem mais rápidos, fluidos e seguros no dia a dia. De fato, o comércio online, que já vinha em uma curva de crescimento, vem obtendo resultados robustos neste ano em função da pandemia.

No entanto, o varejista deve focar seus esforços não só no presente, mas também se preparar para o amanhã. Uma vez que tenhamos acesso a vacinas, o movimento no comércio tende a crescer. E então é preciso que o varejista esteja bem preparado para atender esse novo consumidor: mais consciente, exigente com padrões de higiene e segurança e também menos tolerante com meios de pagamento lentos ou pouco responsivos.

Parceria da Shipay com o varejo

A atuação da Shipay no mercado vem sendo de muita parceria com o varejo, entendendo a realidade dos lojistas e apontando soluções que estão em sintonia com este momento que vivemos. Nossa integração junto ao PDV permite que os varejistas recebam pagamentos das principais carteiras digitais do mercado e também via PIX em um só hub, o que garante mais fluidez e segurança para o dia a dia da operação de caixa. Para entender um pouco mais sobre nossa solução, clique aqui e confira o depoimento de uma marca que se tornou nossa parceira.

#varejo #vendasonline #ecommerce #blackfriday #pagamentosdigitais #shipay #pix #meiosdepagamentos #carteirasdigitais #meiodepagamentosdigitais #BACEN #fintechs #meiosdepagamento #bancocentral #fintech #bancocentral #finanças #openinnovation #carteiradepagamentos #inovaçãofinanceira #SegurançaPagamentos

Close Bitnami banner
Bitnami
Close Bitnami banner
Bitnami